Câncer de Bexiga

<php the_title(); ?>

tumor de bexiga é o segundo mais frequente dos tumores urológicos, perdendo apenas para o câncer de próstata. Ele representa 3% de todos os tumores diagnosticados nos pacientes, o que corresponde a 50 – 150 casos por 100.000 habitantes. Parece pouco? Pois é a quinta maior causa de morte em pacientes idosos.

Os homens tem maior risco, o câncer de bexiga é 3 vezes mais frequente em homens do que em mulheres.
Essa frequência aumenta com: envelhecimento, tabagismo, contato com determinados produtos de limpeza, de beleza, combustíveis e tintas.
Aumento da frequência em pacientes que usam sonda na bexiga por muito tempo e pacientes com cálculo na bexiga

O tumor de bexiga deve ser tratado tão logo seja feito o diagnóstico, pois tem chance alta de cura se cuidado nos estágios iniciais.
Ao diagnóstico: 85% dos tumores ficam restritos à bexiga, ou seja, não invadem outros órgãos e têm grandes chances de cura. Desses tumores iniciais, oitenta por cento são superficiais, não invadindo, portanto, a bexiga. Isso será explicado mais adiante em tratamento.
Quando o tumor não é tratado, ele tem comportamento agressivo, podendo invadir a bexiga e outros órgãos

Sim! O tumor de bexiga apresenta sintomas em praticamente todos os casos. Ele não é considerado um tumor silencioso e os sintomas devem ser valorizados para não se perder tempo no tratamento.

Os sintomas do tumor na bexiga são sangramento na urina (hematúria) acontece em 85% dos casos. Esse sangramento pode ser aparente (macroscópico) ou ser visto apenas em exames de urina (microscópico).
Sintomas de armazenamento da urina: vontade de urinar a todo momento, ardência e/ou urgência para urinar estão associados em 25% das vezes. Esses sintomas também aparecem em doenças benignas da próstata e podem ser diferenciados com exames e avaliação cuidadosa do urologista.

Pacientes homens (principalmente) ou mulheres com mais de 45 anos, fumantes com queixa de sangramento urinário aparente ou ao exame de urina DEVEM INICIAR INVESTIGAÇÃO DA BEXIGA E RESTANTE DAS VIAS URINÁRIAS.

Iniciamos com exames de imagem como Ultrassonografia (USG) de Rins e Vias Urinárias e exames de urina e sangue.
Quando a dúvida persiste, lançamos mão de uma endoscopia da bexiga que chamamos de cistoscopia. Nesse exame há visualização direta da bexiga “por dentro”.

 

Primeira etapa da investigação chama-se estadiamento, onde o profissional deve entender onde está esse tumor, se ele é localizado apenas na bexiga, não invadindo outros órgãos e também se ele é superficial ou aprofunda-se na própria bexiga. Esses fatores também vão determinar a chance de cura do tumor. O desenho abaixo mostra a progressão de um tumor de bexiga. A classificação vai de T1 (mais superficial possível) a T4 (profundo, acometendo órgãos vizinhos)

São solicitados os seguintes exames:

Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética da pelve e abdome.

Cintilografia óssea se o paciente referir dor óssea. A cistoscopia é realizada e, se algum tumor for encontrado, já é tratado com cirurgia endoscópica. Essa cirurgia é chamada de RTU (ressecção trans uretral) da bexiga.

A RTU é feita de forma endoscópica (sem cortes), onde todo o tumor é retirado com uma alça elétrica e toda lesão é cauterizada.

Após todo o estadiamento, os tumores são classificados em:

  • Superficiais – Restritos a mucosa da bexiga, sem acometimento do músculo da bexiga
  • Invasivos – apenas na bexiga com invasão da musculatura
  • Metastático – acometimento em outros órgãos a distância da bexiga

Todo o tratamento dos tumores de bexiga são iniciados com RTU (ressecção transuretral da bexiga) para estadiamento de quais foram as camadas acometidas da bexiga – ver itens acima. A continuação do tratamento dependerá das camadas atingidas:

  • Tumores superficiais podem ser tratados unicamente RTU + avaliação periódica. As vezes é necessário complementação com uma substância (BCG) colocada na bexiga que ajuda diminuindo a chance desse tumor voltar a crescer.
  • Tumores invasivos são melhor tratados com Cistectomia Radical, uma cirurgia de grande porte que objetiva retirar Bexiga e próstata (homem) / Bexiga e útero (mulheres) restituindo o trato urinário com uso de alça de intestino. Essa cirurgia pode ser feita com auxílio do robô ou de forma convencional aberta.
  • Tumores metastáticos são tratados com quimioterapia.


Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!