Incontinência Urinária

Infeccção e Incontinência Urinária - Danilo Galante
incontinência urinária é a incapacidade de conter a urina de forma voluntária. É uma condição clínica de grande impacto na vida do paciente, levando a problemas físicos e psicológicos importantes. Apenas o paciente acometido sabe das restrições em sua vida social e econômica, o que piora muito sua qualidade de vida.
Campanhas de saúde sobre incontinência urinária são cada vez mais comuns e importantes para mostrar que essa condição não é NORMAL nem em pacientes mais idosos e também não é inevitável.

Definida por qualquer perda urinária involuntária pela uretra (canal que comunica a bexiga ao meio externo). Essa definição foi atualizada em 2004 pela Sociedade Internacional de Continência.

Não! A prevalência de incontinência urinária em homens varia entre 3 a 39% conforme a faixa etária. Nos homens há associação frequente com outros sintomas como jato fraco, urgência para urinar e/ou disfunção erétil.

  • – Idade.
  • – Sintomas urinários prévios.
  • – História de Infecções urinárias.
  • – Doenças neurológicas.
  • – Déficits cognitivos (mentais), funcionais e de mobilidade.
  • – Cirurgias urológicas, principalmente a prostatectomia, que é a retirada total da próstata para tratamento do câncer de próstata.

Antes de tratar uma incontinência urinária devemos classificá-la.

Incontinência Urinária de urgência – Principal sintoma é a urgência miccional, ou seja, o súbito desejo de urinar. É decorrente de contrações involuntárias da bexiga associadas, principalmente, a alterações neurológicas da bexiga. Entre as causas disso temos: doenças neurológicas do próprio paciente, idade, decorrentes de diabetes, decorrentes da presença de prolapsos do útero ou da própria bexiga. E também há aquelas sem causas definidas.

Incontinência Urinária de esforço – Ocorre após manobras que aumentem a pressão no abdome (tosse, espirro, falar, andar, esforço físico, mesmo que leve). Nas mulheres pode ocorrer lesão após partos naturais. No homem pós operado pode ser resultado de lesão direta do esfíncter na cirurgia. Traumas graves de bacia ou radioterapia podem também levar a esse problema.

IU misto – Com características dos dois diferente tipos.

O tratamento dos dois tipos de incontinência é diferente. Portanto um tratamento correto ocorre após um diagnóstico correto. Uma boa conversa com a(o) paciente sobre suas queixas e em que momento ela(e) perde urina aliados a um exame físico completo normalmente respondem a essa dúvida. Normalmente também é pedido exames de urina, de sangue e eventualmente um exame mais específico que é o Estudo Urodinâmico.

Equipamento para Estudo Urodinâmico

Ele é sempre solicitado quando há dúvida do diagnóstico. É uma ferramenta de auxílio na escolha do tratamento e também para estimar chances de sucesso com determinados tratamentos. Ele funciona determinando a função global da bexiga tanto no armazenamento de urina como em seu esvaziamento.
O exame Urodinâmico é feito colocando-se uma pequena sonda na bexiga. Infunde-se soro fisiológico dentro da bexiga, enchendo-a progressivamente simulando-se o enchimento da bexiga com urina. Nesse procedimento medimos a pressão dentro da bexiga e em qual pressão a (o) paciente perde urina, caso perca. Ao final do exame é avaliado se o paciente tem ou não dificuldade em urinar.

Não! Existe tratamento clinico, com medicação e fisioterapia. E somente quando esse tratamento não funciona é que pensamos em cirurgia.

Deve ser empregado em qualquer tipo de incontinência, mesmo que o tratamento cirúrgico esteja indicado:

  • – Micções programadas (a cada 2h) mesmo que sem vontade de urinar.
  • – Redução da quantidade de liquido ingerido.
  • – Exercícios físicos.
  • – Perda de peso.
  • – Tratamento da Obstipação intestinal (“intestino preso”).
  • – Fisioterapia de assoalho pélvico (exercícios perineais, biofeedback, cones vaginais, eletroestimulação).

Apenas para pacientes com incontinência urinária de urgência, portanto que tenham contrações não inibidas. As medicações são dadas com o intuito de inibir essas contrações da bexiga.

Sim! Podemos aplicar Botox dentro da bexiga quando o tratamento com medicação e com fisioterapia não funcionou.


1) Exercícios de fortalecimento para a musculatura do assoalho pélvico:
Os exercicios consistem em contrair os músculos do assoalho pélvico por 20 segundos e depois relaxá-los por 10 segundos. Esses exercícios devem ser repetidos 10 vezes em cada sessão com 3 sessões por dia.
2) Perder 5% ou mais do seu peso já vai ajudar muitos pacientes obesos a melhorar sua incontinência urinária.



Infecção Urinária

Infecção Urinária

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!