Manejo de pacientes com dor renal no Pronto Socorro

A dor lombar é tratada com analgésicos comuns, anti-inflamatórios e, se necessário, usa-se morfina.

Optamos por alta hospitalar com medicação para casa aos pacientes com cálculos pequenos, próximos a bexiga, sem dor, sem infecção e sem alteração do rim por exame de laboratório ou tomografia.

Todos os pacientes que estiverem em crises de dor não controladas com analgésicos na veia são candidatos a extração do cálculo no Centro Cirúrgico. A cirurgia também é indicada a pacientes com piora da função do rim, com dilatação deste ou infecção urinária provocados pelo cálculo. Nesses pacientes acima não é dada importância ao tamanho do cálculo renal.

Internamos para extração cirúrgica apenas quando o cálculo do paciente (na figura 1 em “structure”) está localizado no ureter, “tubo” que leva a urina do rim (kidney) a bexiga (bladder). A dilatação do ureter leva o estímulo de dor para o rim, que é sentida pelo paciente.

A cirurgia é realizada normalmente sob raquianestesia e de forma endoscópica (sem cortes). Uma câmera bem fina é introduzida pela uretra, percorrendo o canal urinário até o cálculo. Após localizá-lo, é feita sua fragmentação com laser e retirado seus fragmentos (figura 2).

Normalmente é deixado um cateter urinário (duplo J) até que diminua o edema (inchaço) do ureter (figura 3 e 4).

 



Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!