Pular para o conteúdo

11 3262-5564 | 11 99267-7369
dr.danilogalante@icloud.com

Tudo azul em abril, mês da conscientização sobre o autismo

O azul foi a cor escolhida para dar tom ao mês de abril, que marca a conscientização sobre o autismo, transtorno que já foi diagnosticado em mais de 70 milhões de pessoas ao redor do mundo.

 

No dia 2 de abril, é celebrado o Dia Internacional do Autismo e, durante todo o mês, o assunto será tema em diversas ações de debate pelo mundo.

 

A ação foi criada em dezembro de 2007 pelas Organização das Nações Unidas (ONU) e realizada pela primeira vez em 2008, quando foi pensada para chamar a atenção sobre a importância acerca do conhecimento e tratamento do transtorno. Como nos anos anteriores, o azul poderá ser visto em fachadas de prédios iluminadas e campanhas espalhadas pela cidade.

 

Segundo a própria ONU, o objetivo é incentivar o compromisso político e a cooperação internacional em favor de investimentos nos setores sociais, educacionais e laborais das pessoas com o transtorno.

 

Dados sobre o Autismo

 

O Autismo, também conhecido como Transtorno do Espectro Autista (TEA), não é de fácil diagnóstico. Cada criança é singular e não necessariamente apresenta todos os sintomas averiguados em outros indivíduos. O TEA compromete as habilidades de comunicação e interação da pessoa.

 

Como já foi citado, o transtorno atinge 70 milhões de pessoas no mundo todo. No Brasil, o número de casos ultrapassa 2 milhões, sendo aproximadamente 400 mil pessoas somente no Estado de São Paulo.

 

Informações apontam ainda para 150 mil novos casos de autismo diagnosticados anualmente.

 

Outro fato identificado por especialistas em estudos é que os TEA são 4,5 vezes mais comuns em meninos e suas características são variáveis (desde sutis até mais visíveis) e têm em comum déficits nas áreas de comunicação, interação social, além de comportamentos repetitivos e em áreas restritas de interesse.

 

Esse transtorno não possui cura e suas causas ainda são incertas. O autista, porém, pode ser trabalhado, reabilitado, modificado e tratado. Assim, o paciente pode se adequar ao convívio social em suas diferentes formas.

 

Legislação

 

A Lei que institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista é a Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012.

A regulamentação prevê a atenção integral às necessidades de saúde da pessoa com TEA, com objetivo do diagnóstico precoce, atendimento multiprofissional e acesso a medicamentos e nutrientes.

 

A lei tem como diretriz o estímulo à inserção da pessoa com transtorno do espectro autista no mercado de trabalho, observadas as peculiaridades da deficiência e as disposições do Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

Sabe-se que o diagnóstico do TEA não impede que o paciente, em suas individualidades, possa aprender e manter um convívio social, basta a conscientização, por isso este dia e o mês de abril são tão importantes para o tema.

 

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!