Como é a sexualidade após o tratamento do câncer de próstata?

Nem todo tratamento de câncer de próstata interfere na vida sexual do homem, mas a taxa de impotência no paciente tratado ocorre em cerca de 15% dos casos. Já a incontinência urinária acontece em aproximadamente 12% dos casos.

A cirurgia que provoca um impacto maior sobre a sexualidade masculina é a prostatectomia radical, que envolve a retirada total da próstata, provocando alterações no orgasmo e na potência sexual em uma parcela dos operados.

Operações menores como a RTU (popular raspagem da próstata) raramente mudam a vida sexual do homem, podendo causar apenas ejaculação retrógada, situação em que o ejaculado vai para dentro da bexiga, ao invés de sair no orgasmo normal.

O que muitos homens ainda não sabem é que tanto a impotência quanto a incontinência urinária têm tratamento. A mulher ou parceiro do paciente ajuda muito nesse processo com paciência e apoio incondicional.

Após a cirurgia, é possível que a ereção sofra impactos, diferentemente da libido. O tratamento para resolver o problema erétil pode ser medicamentoso, com drogas injetáveis (intracavernosas) ou, em último caso, através de colocação de prótese peniana.

Cabe ressaltar que os pacientes com baixa testosterona podem fazer normalmente sua reposição, mesmo tendo sido operados de câncer de próstata. Anteriormente, o hormônio era considerado uma “gasolina” para o câncer. No entanto, constatou-se que, a partir de uma certa dosagem, o tamanho do tumor não sofre alterações, o que torna a reposição segura.