Conheça a nefrectomia parcial robótica

Nefrectomia parcial robótica é o procedimento cirúrgico que utiliza o robô para retirar parte do rim, podendo incluir a glândula adrenal, gordura perirenal e linfonodos.

Normalmente, quando o rim é acometido por um tumor maligno, a retirada apenas do tumor se faz necessária, para manter esse órgão, sendo recomendada como principal forma de tratamento curativo. Em locais onde está disponível, é indicado uso da robótica para o procedimento.

Assim como em um vídeo game, o robô replica os movimentos que o cirurgião faz, não tendo autonomia para nenhum movimento automático. Portanto não existe o risco de perder-se o controle. A cirurgia robótica é uma opção tecnicamente mais avançada à cirurgia laparoscópica, leigamente chamada “cirurgia com furinhos”.  O equipamento conta com um filtro de movimento que elimina possíveis tremores do cirurgião, de maneira que não sejam repassados para o paciente durante a cirurgia.

Existem várias aplicações para a cirurgia robótica renal: tumores; infecções graves acometendo o rim (ex: pielonefrite xantogranulomatosa), falência de unidade renal, na presença de sintomas como infecção ou dor, câncer de pelve renal ou ureter, transplante renal e outras doenças renais em estágio avançado, como calculose (pedras), cistos e etc.

O termo nefrectomia parcial é utilizado em referência à retirada apenas do tumor, preservando o rim, enquanto a nefrectomia radical fica reservada para casos de remoção total por câncer ou doença grave e irreversível do órgão. Atualmente, a radical geralmente poupa a glândula adrenal da retirada.

As vantagens da cirurgia robótica são: movimentos mais precisos, com técnica mais apurada, menor trauma renal e menos complicações intra e pós-operatórias. Além disso, há mais rápida recuperação pós-operatória, menor sangramento, menor tempo de internação hospitalar e menos dor, além de resultados estéticos melhores.

Na dúvida, consulte sempre um especialista.

Clique aqui para saber mais sobre Cirurgia Robótica

Conheça os métodos de tratamento para Cálculo Renal

Uma das dores mais fortes registradas na medicina é a derivada dos cálculos renais, as famosas “pedras nos rins”.

A incidência desta condição é mais comum em homens, aparecendo em cerca de 12% dos indivíduos adultos, mas também é vista em mulheres (5% delas), principalmente na faixa etária dos 20 aos 40 anos de idade.

As crises de dor normalmente surgem quando alguma pedra formada no rim se locomove para o trato urinário, obstruindo a passagem da urina em alguma região, como o próprio rim ou o ureter.

Em caso de suspeita de cálculo renal, o diagnóstico é realizado através de exames, como os de raio x, ultrassonografia do trato urinário ou tomografia computadorizada de abdômen.

O tratamento é geralmente tentado em casa, com analgésicos ou antiespasmódicos e costuma melhorar boa parte das crises. Porém, em casos mais graves, com pedras maiores, dores persistentes ou infecção associada, a opção do médico é pela cirurgia, normalmente feita por endoscopia, ou seja, “pelo canal” e sem cortes. Fragmentam-se os cálculos com laser para que haja remoção física destes.

Vale lembrar que beber água previne a formação de cálculos renais, pois a ingestão constante de líquidos, especialmente água, diminui sua formação. Beba pelo menos 2 litros diariamente. Porém a ingestão de líquidos não tem influência sobre os cálculos já existentes.

Então, se você sente dores e suspeita que pode sofrer de cálculo renal, consulte um especialista.

Clique aqui para saber mais sobre problemas renais

O consumo de vitamina C pode elevar os riscos de cálculo renal

Mesmo trazendo várias vantagens para nossa saúde, a suplementação de vitamina C também pode trazer complicações para o organismo masculino: risco aumentado de pedras nos rins.

Segundo estudo realizado na Divisão de Epidemiologia Nacional do Instituto Karolinska, na Suécia, e publicado na revista norte-americana “American Journal of KidneyDiseases”, a ingestão de 1.000 mg/dia ou mais aumenta em até 19% o risco de aparecimento de cálculos renais.

Isso se dá porque a vitamina C é parcialmente convertida em oxalato, não sendo excretada na urina e aumentando o risco de formação de pedras de oxalato de cálcio.

Vale lembrar que a concentração dos comprimidos de vitamina C encontrados no mercado variam entre 500 mg e 1.000 mg.

Na dúvida, consulte sempre um especialista.

Clique aqui para saber mais sobre cálculos urinários/cálculo renal

Sabia que o esperma pode ser afetado pela alimentação?

Todos sabemos que a alimentação pode afetar diversos aspectos físicos, como peso corporal, aparência de cabelos, unhas e pele, entre outros. Mas saiba que também há influência na qualidade do sêmen.

O esperma de boa qualidade contém espermatozoides com bom número, aspecto e motilidade (rapidez). Para que esta produção seja eficaz, o corpo precisa se abastecer de algumas substâncias como o zinco, ácido fólico e os antioxidantes.

Podemos encontrar elementos antioxidantes em alimentos como o pepino, a aveia, o azeite de oliva e a pitaya. Já o zinco está presente no frango, no leite, no amendoim e em leguminosas. O ácido fólico está presente em vegetais como o espinafre e é associado à melhor motilidade espermática.

Alimentos com licopeno, que dá cor vermelha a eles, podem ajudar no aumento da contagem de esperma (tomate, melancia e pimentas). O nutriente L-carnitina, presente na carne vermelha, também é benéfico na contagem e na motilidade dos espermatozoides.

Da mesma forma, uma alimentação inadequada piora a saúde geral do nosso corpo e também do esperma. Dentre esses alimentos temos: alto consumo de açúcares, frituras e álcool, aliados à baixa ingestão de frutas e verduras.

Consulte um Nutrólogo / Nutricionista.

Clique aqui para mais saber mais sobre o esperma e suas alterações

Nozes podem ajudar na fertilidade: verdade ou mito?

A sabedoria popular diz que alguns alimentos podem ajudar na fertilidade masculina. Isso será verdade ou mito?

Por mais inusitado que pareça, isso é real. As oleaginosas (nozes, amêndoas e castanhas) podem ajudar na vida reprodutiva dos casais.

Segundo estudo da Universitat Rovira i Virgili, instituição espanhola, estes alimentos melhoram a contagem de espermatozóides, subindo a qualidade do esperma.

Na pesquisa, 119 voluntários entre 18 e 35 anos foram analisados. Parte do grupo seguiu sua dieta normal e o resto recebeu tais novidades em suas rotinas. Homens que comeram cerca de dois “punhados” de nozes por dia apresentaram espermatozoides mais saudáveis e mais capazes de efetuar a fecundação.

Os indivíduos que ingeriram oleaginosas também tiveram redução nos níveis de fragmentação do DNA espermático, outra característica associada à infertilidade.

Entretanto, como em qualquer pesquisa, seus resultados ainda precisam ser mais estudados e aplicados à vida do cidadão comum.

Saiba mais sobre infertilidade no nosso site: http://drdanilogalante.com.br/consulta/avaliacao-de-infertilidade/

 

 

Saiba a importância de levar uma vida mais leve e descontraída

É consenso entre cientistas, médicos e psicólogos a importância da risada para a saúde do ser humano. Conforme nos alegramos, ativamos em nossos cérebros a produção de endorfina e serotonina, substâncias que atuam de maneira similar aos antidepressivos, sendo responsáveis por sensações de relaxamento, felicidade e satisfação.

Pesquisa realizada pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, mostra na prática: 85% dos pacientes de depressão que participaram do processo sentiram melhora após o riso ser provocado através do óxido nitroso.

A substância, conhecida como “gás do riso”, é amplamente utilizada na medicina e na odontologia, servindo como anestésico para relaxar pessoas que se mostram tensas antes de procedimentos cirúrgicos.

No Brasil, o Ibope Conecta realizou recentemente uma pesquisa sobre o tema, tentando entender a conexão entre a leveza e a felicidade na vida dos cidadãos. De acordo com o órgão, foi concluído que há uma conexão direta entre um comportamento mais leve e a obtenção de prazeres no dia a dia.

Nossa população se divide em três grupos: 49% variam o humor, 22% têm personalidade controladora, criando angústias e frustrações diariamente; alem de um especial grupo de 29%, que demonstra encarar a vida com leveza, tendo uma rotina mais feliz, mesmo diante de dificuldades nas mais diversas situações.

Então, por mais que as coisas se mostrem difíceis, tente se alegrar e trazer leveza para seu ambiente, pois isso pode ajudar a enfrentar a vida.

 

Saiba o que a cor da urina pode dizer sobre sua saúde

De vez em quando, pacientes notam diferenças na coloração de sua urina. Nem sempre isto pode indicar algum problema de saúde, mas há casos em que devemos prestar atenção.

A urina considerada saudável é aquela com coloração levemente amarelada, devido às grandes quantidades de urobilina em sua composição. Esta substância é formada devido à degradação da hemoglobina, presente nas células vermelhas de nosso sangue.

Cerca de 95% da urina é composta por água, além da urobilina, ureia, sal, ácido úrico, toxinas e outros elementos que devem ser eliminados do nosso corpo.

Urina mais escura que o normal pode ser sinal apenas de desidratação. Veja abaixo o significado de outras colorações:

– Cor transparente: elevação no consumo de água, podendo até representar um exagero em tomar este líquido.

– Cor amarela escura: geralmente, representa pouco consumo de água (desidratação). Sem ter o que filtrar, os rins produzem urina com pouca água e com mais ureia e urobilina.

– Cor escura (ou preta): urina muito escura, com tom próximo ao preto, pode representar hepatite.

– Cor de mel: grande desidratação ou problemas no fígado.

– Cor laranja: pode indicar falta de água, consumo de remédios, suplementos vitamínicos ou até doença na vesícula ou no fígado.

– Cor azul ou verde: geralmente, urina de cor azulada ou esverdeada é causada por consumo de algum alimento exótico, medicamentos específicos ou até uma infecção bacteriana.

– Cor rosada: este tom pode significar tanto consumo de alimentos específicos ou problemas mais sérios, como doenças na vesícula, próstata, fígado, rins ou até tumores; ainda pode ser causada por problemas nos rins, bexiga ou no sistema urinário.

– Cor branca: esta alteração, na maioria dos casos, provém de infecções do trato urinário.

Não se esqueça: em caso de dúvida, consulte sempre um especialista.

Saiba porque o frio provoca maior incidência de incontinência urinária

Hoje começa o inverno e, com a prevalência de temperaturas mais baixas, aquelas pessoas que já têm incontinência urinária, podem sofrer ainda mais nessa época do ano. A seguir, vamos entender o que causa esse transtorno. A produção urinária é derivada do volume de líquido ingerido durante o dia. Como no inverno transpiramos pouco, a maior parte da eliminação de líquidos é feita através da urina. Assim, o metabolismo acelera o funcionamento dos rins, que eliminam mais água do corpo, enchendo mais a bexiga e agravando a incontinência.

Modalidades

Existem diversos tipos de incontinência. A primeira, causada pelo esforço, ocorre quando a pessoa faz alguma espécie de movimento (ou até uma simples risada) e já perde alguma quantidade de urina. A segunda é chamada de “incontinência de urgência”, nas quais o paciente sente vontade urgente de urinar, sem que haja, necessariamente, esforço físico. O terceiro tipo é a incontinência mista, quando há associação dos dois tipos.

Solução

Mas existe solução para isso. Casos mais simples são tratados com eletroestimulações, ativação dos músculos da região pélvica e fortalecimento de toda essa região. Nos casos mais severos o tratamento é cirúrgico (sling), com colocação de uma “telinha”, que melhora a sustentação da uretra, canal por onde sai a urina (e normalmente onde está o problema nos(as) pacientes com incontinência urinária de esforço. No caso de incontinência urinária durante o sono, deve-se evitar a ingestão de líquidos em excesso antes de dormir.

Não se esqueça: se aparecerem dúvidas, consulte sempre um médico especialista.

 

Circuncisão reduz risco de doenças urológicas

A circuncisão é um procedimento cirúrgico frequentemente realizado em crianças, no qual é removido a pele retrátil (prepúcio) que recobre a cabeça do pênis (glande). O procedimento é recomendado para crianças em qualquer idade, por motivos religiosos ou médico.

 

Religiosamente feita pelos judeus em crianças com poucos dias de vida, a circuncisão é feita geralmente pelo rabino e leva no máximo 10 minutos. Já em crianças mais velhas, jovens e adultos, a cirurgia é feita em centro cirúrgico, sob sedação, com cerca de 1 hora de duração. As taxas de complicações cirúrgicas ficam abaixo de 0,5%.

 

As principais indicações estão listadas abaixo:

1) Infecções urinárias de repetição – principalmente na criançada de até 2 anos de idade é recomendado a cirurgia como forma de prevenção.

 

2) Infecções do pênis de repetição – chamada balanite (infecção da glande) e a postite (infecção do prepúcio), ou ainda balanipostite.

 

3) Prevenção de câncer de pênis e HPV – Estudos mostram benefício na redução do risco de câncer é menor incidência de HPV quando a circuncisão é feita ainda na infância.

 

A decisão sobre a circuncisão cabe aos pais da criança e ao próprio homem, quando adulto. As informações relacionadas a cada caso são mais assertivas quando obtidas pelo urologista, que define quando é preciso realizar o procedimento.

 

Curiosidades sobre o sêmen

Que o sêmen (ou esperma) pode engravidar todo mundo sabe! Mas existem algumas curiosidades sobre o fluido masculino que você talvez não saiba:

 

Composição do sêmen: Os espermatozóides representam APENAS 5% a 10% do volume total do que é ejaculado, enquanto o restante é composto por aminoácidos, frutose, enzimas, vitaminas, ferro e zinco;

 

Textura “grudenta”: a textura do sêmen, um tanto quanto grudenta, protege os espermatozoides no momento inicial da ejaculação, fazendo com que consigam se fixar por mais tempo no colo do útero. Isso facilita sua missão de fecundar o óvulo;

 

PSA e sêmen: O PSA, medido anualmente no sangue dos homens para check up de câncer de próstata, tem função primordial na fecundação do óvulo. Ele transforma a consistência do sêmen (de gelatinoso para líquido), promovendo meio para os espermatozoides ”nadarem” de encontro ao óvulo.

 

Temperatura ideal: para produzir espermatozoides saudáveis, a temperatura dos testículos deve estar cerca de 2 a 4ºC abaixo do restante do corpo. Este é o principal motivo dos testículos ficarem na escroto. A infertilidade pode ocorrer em situações em que essa regra não acontece: em homens que trabalham expostos a altas temperaturas (fornos, metalúrgicas e siderúrgicas, que usam frequentemente laptop no colo; pacientes com varicocele (veias dilatadas na região); homens que nasceram com testículos fora da bolsa testicular (elevados ou escondidos – criptorquidia;

 

Um testículo só: mesmo com apenas um testículo, o homem tem esperma suficiente para gerar filhos;

 

Sexo oral: As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) são mais comumente associadas ao sexo com penetração, mas o ato oral também oferece riscos à saúde. Por isso, embora o risco seja menor do que no sexo anal ou vaginal, sempre é recomendável usar proteção!