Entenda como funciona o espermograma

Um dos principais exames para avaliar a infertilidade masculina é o espermograma. Por ele é avaliado contagem e qualidade dos espermatozoides ejaculados. Indolor e sem riscos à saúde, o exame é realizado através de coleta de semen por masturbação. Não possui contraindicações e pode ser feito por qualquer homem em idade reprodutiva.

A avaliação é normalmente solicitada em checkup de rotina ou para investigação de infertilidade masculina. O exame também costuma ser solicitado para homens em avaliação pré nupcial e nos que fizeram vasectomia, analisando se o procedimento teve êxito.

O recomendado é que o material seja colhido em laboratório após três dias de abstinência sexual e avaliado no microscópio por um embriologista no mesmo momento.

No espermograma são avaliados no semen: cor, aspecto, quantidade de líquido, número de leucócitos (que indicam infecção), além de tamanho e formato dos espermatozoides. Os três principais aspectos observados são: concentração de espermatozoides, motilidade (movimentação) e morfologia (aspecto).

A motilidade analisa a movimentação dos espermatozoides, dividida em:

1) Progressivos Rápidos, que andam para frente e são os mais efetivos para encontrar o óvulo e possibilitar a gravidez;
2) Não Progressivos, que andam em círculos ou em ziguezague, tendo menor efetividade em termos de viabilizar a gestação;
3) Imóveis ou Mortos.

De acordo com a morfologia de Kruger, consideramos NORMAL o espermatozoide oval, com corpo e cauda. No entanto, cerca de 95% da produção de espermatozoides é sempre anormal. Segundo o preconizado pelo especialista, basta que o homem tenha 4% ou mais de espermatozoides normais para ser considerado apto a engravidar sua parceira.