Rir é o melhor remédio?

Será que sorrir realmente faz bem à saúde? A resposta é sim! É um simples gesto gratuito que traz uma série de benefícios para o seu dia-a-dia. 

Além da sensação de bem-estar, o riso é um grande aliado da saúde, ajudando a prevenir doenças e auxiliando o organismo a cumprir suas funções diárias. Por isso, fique atento a estas dicas:

Coração

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Loma Linda, da Califórnia (EUA), o riso pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares. Dois grupos de pessoas que tiveram ataques cardíacos participaram do estudo, sendo que um deles assistia a vídeos de humor durante 20 minutos por dia.

O estudo revelou que os membros desse grupo apresentaram uma queda de 66% da proteína C-reativa, um marcador de inflamação e do risco de problemas no coração. Já entre aqueles que não assistiram aos vídeos humorísticos, a queda foi de apenas 26%.

Pressão Arterial

Também nos Estados Unidos, um estudo da Universidade de Baltimore revelou que rir diminui a pressão arterial, enquanto o estresse apenas contribui para aumentá-laOs estudos foram feitos com vinte voluntários saudáveis, não fumantes, com idade média de 33 anos.

Os pacientes assistiam primeiro a um trecho de filme que provocava estresse. Após 48 horas, viam uma comédia. Ao final da pesquisa, foi constatado que o estresse reduziu o fluxo de sangue em 35%. Já as risadas provocadas pela comédia fizeram com que o fluxo sanguíneo aumentasse 22%, contribuindo para diminuição na pressão arterial.

Colesterol e diabetes

Outro estudo da Universidade Loma Linda revelou que dar risadas pode aumentar os níveis do colesterol bom (HDL) no sangue. Os pesquisadores acompanharam vinte pacientes diabéticos com altas taxas de colesterol ruim (LDL) no sangue e todos usavam remédios para realizar o controle do problema.

Metade dos pacientes continuou a tratar-se apenas com as medicações, enquanto a outra metade conciliava remédios com hábito de assistir diariamente a filmes de comédia,  em sessões de 30 minutos. 

Resultado: o grupo que foi estimulado a gargalhar elevou seus níveis de HDL em até 26%. Já entre os que integraram o grupo controle, o aumento foi de apenas 3%.

Pulmões

Quando uma pessoa dá gargalhadas, a absorção de oxigênio pelos pulmões aumenta. Inalando um volume maior de ar, a expiração também fica mais forte. Com a maior ventilação pulmonar, os excessos de dióxido de carbono e vapores residuais são rapidamente eliminados, promovendo uma limpeza ou desintoxicação.

Circulação do sangue

De acordo com pesquisas, o ritmo cardíaco acelera quando a pessoa começa a rir e os batimentos podem chegar a até 120 pulsações por minuto, um aumento significativo em comparação à média de 70 pulsações de alguém que está em repouso.

Com a pulsação aumentada, o sangue circula mais intensamente no organismo, o que aumenta a oxigenação de todas as células, tecidos e órgãos.

Combate às rugas

Ao dar risadas, as pessoas movimentam 12 músculos faciais. Quando dão gargalhadas, são movimentados 24 desses músculos. Conversar e gargalhar ao mesmo tempo movimenta 84 músculos. Esses exercícios faciais esticam a pele e retardam o aparecimento de rugas.

Precisa de mais algum motivo para começar a rir?

WHEY PROTEIN X CÁLCULOS RENAIS

whey protein é uma suplementação alimentar muito comum, principalmente no universo das academias, mas seu uso indiscriminado torna-se um risco para os rins. 

A suplementação em excesso favorece a “hiperfiltração” dos rins, ou seja, o órgão é forçado a trabalhar mais do que sua capacidade natural para metabolizar uma quantidade maior de proteína, o que pode causar sobrecarga do órgão. 

É comum que praticantes de exercícios tentem aumentar bastante o consumo de proteínas através de suplementos proteicos, como whey protein. O grande perigo disso é que alguns pacientes, já propensos a formação de cálculo renal, podem  passar a produzi-los em maior quantidade. 

Mesmo que sua saúde esteja boa, não se esqueça de consumir bastante água, alimentar-se corretamente, dormir bem e seguir uma rotina saudável, de preferência sem o uso de álcool, tabaco ou qualquer tipo de droga.

Estima-se que, em uma dieta equilibrada, o organismo de uma pessoa comum necessita de 1 a 1,4 gramas de proteína por quilo de peso por dia. Dietas acima de 120gr diárias de proteínas são consideradas exageradas e não resultam em ganho de massa muscular. Apenas atletas de alta performance devem superar essa quantidade. 

O ideal é que, antes de iniciar uma rotina de atividades físicas, seja feito acompanhamento com um nutrólogo para calcular corretamente sua suplementação. 

Conheça os exames preventivos mais importantes para a saúde do homem

A próstata localiza-se abaixo da bexiga e envolve a uretra, em região próxima à bexiga. O câncer de próstata é o tumor mais comum do homem e o segundo que mais mata (perdendo apenas para o de pulmão). O diagnóstico da doença em estágios iniciais é fundamental para a cura. Conheça os exames mais importantes para detectar esta condição.

PSA – Marcador tumoral e principal exame na avaliação inicial do paciente. Quando apresenta alterações, indica prosseguimento da investigação para descartar tumor da próstata.

Exame físico (com toque retal) – Realizado em consultório pelo urologista, é indolor e rápido. Possibilita avaliação de tamanho e palpação de nódulos, indicadores de tumor prostático.

Ultrassonografia – Exame não obrigatório, que pode ser solicitado basicamente pra avaliar tamanho da próstata e avaliação de resíduo miccional, ou seja, se o paciente esvazia toda a bexiga após a micção.

Biópsia da próstata – é solicitada quando há indícios de tumor de próstata. Ela confirma o diagnóstico quando positiva.

Todo homem deve realizar anualmente o exame de toque retal a partir dos 50 anos de idade. Pacientes de alguns grupos específicos (negros, obesos ou com história familiar de câncer de próstata) devem iniciar sua avaliação após os 40 anos de idade.

Leia mais sobre o assunto aqui: https://drdanilogalante.com.br/consulta/doencas-da-prostata/ 

Em caso de dúvida, consulte um especialista.

Saiba a importância de levar seu filho adolescente ao urologista

Em setembro, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) promoveu a Campanha #VemProUro, com foco em orientações para adolescentes.

 

O objetivo da ação foi orientar os pais a levar os jovens de 15 a 19 anos de idade a médicos especialistas. Diferentemente das meninas, que geralmente são levadas ao ginecologista desde o começo da adolescência, meninos da mesma faixa etária não têm o costume de procurar orientação médica.

 

É esperado que o adolescente tenha resistência e demore para topar ir à consulta. Assim, é recomendável que o pai convide o filho na escolha do médico, procurando profissionais experientes no atendimento a jovens.

 

A ida ao urologista desde a adolescência pode ajudar a diagnosticar precocemente doenças não notadas pelo pediatra (criptorquidia – testículo não descido – ou fimose, por exemplo), além de doenças de ocorrência comum na adolescência como a varicocele (dilatação dos vasos do testículo que pode levar a uma redução da produção de espermatozoides e, no futuro, até causar infertilidade). Além disso, o urologista pode tirar dúvidas sobre sexualidade e doenças sexualmente transmissíveis. 

 

Mesmo que o paciente não tenha experiência sexual, a visita ao médico é bastante importante, servindo como primeiro passo de uma relação que pode auxiliar muito no desenvolvimento biológico e psicológico desse indivíduo mais jovem. 

 

Clique aqui para saber mais sobre Urologia

O consumo de vitamina C pode elevar os riscos de cálculo renal

Mesmo trazendo várias vantagens para nossa saúde, a suplementação de vitamina C também pode trazer complicações para o organismo masculino: risco aumentado de pedras nos rins.

Segundo estudo realizado na Divisão de Epidemiologia Nacional do Instituto Karolinska, na Suécia, e publicado na revista norte-americana “American Journal of KidneyDiseases”, a ingestão de 1.000 mg/dia ou mais aumenta em até 19% o risco de aparecimento de cálculos renais.

Isso se dá porque a vitamina C é parcialmente convertida em oxalato, não sendo excretada na urina e aumentando o risco de formação de pedras de oxalato de cálcio.

Vale lembrar que a concentração dos comprimidos de vitamina C encontrados no mercado variam entre 500 mg e 1.000 mg.

Na dúvida, consulte sempre um especialista.

Clique aqui para saber mais sobre cálculos urinários/cálculo renal

Sabia que o esperma pode ser afetado pela alimentação?

Todos sabemos que a alimentação pode afetar diversos aspectos físicos, como peso corporal, aparência de cabelos, unhas e pele, entre outros. Mas saiba que também há influência na qualidade do sêmen.

O esperma de boa qualidade contém espermatozoides com bom número, aspecto e motilidade (rapidez). Para que esta produção seja eficaz, o corpo precisa se abastecer de algumas substâncias como o zinco, ácido fólico e os antioxidantes.

Podemos encontrar elementos antioxidantes em alimentos como o pepino, a aveia, o azeite de oliva e a pitaya. Já o zinco está presente no frango, no leite, no amendoim e em leguminosas. O ácido fólico está presente em vegetais como o espinafre e é associado à melhor motilidade espermática.

Alimentos com licopeno, que dá cor vermelha a eles, podem ajudar no aumento da contagem de esperma (tomate, melancia e pimentas). O nutriente L-carnitina, presente na carne vermelha, também é benéfico na contagem e na motilidade dos espermatozoides.

Da mesma forma, uma alimentação inadequada piora a saúde geral do nosso corpo e também do esperma. Dentre esses alimentos temos: alto consumo de açúcares, frituras e álcool, aliados à baixa ingestão de frutas e verduras.

Consulte um Nutrólogo / Nutricionista.

Clique aqui para mais saber mais sobre o esperma e suas alterações

Saiba como o tabagismo prejudica sua vida sexual

É consenso que existem diversos danos à saúde causados pelo tabagismo. Mas um dos mais frequentes é a impotência sexual.

A nicotina altera o fluxo sanguíneo do corpo, fazendo com que o pênis receba menor circulação. Assim, a ereção do indivíduo é altamente prejudicada ou inexiste. Além disso, os tecidos penianos se contraem e o órgão acaba sofrendo pela falta de irrigação de sangue, piorando a qualidade da ereção.

Segundo estudos, há cerca de seis milhões de homens brasileiros com disfunção erétil. Boa parte causados pelo hábito de fumar.

E os problemas sexuais causados pelo tabagismo não aparecem apenas no sexo masculino; de acordo com a Associação Médica Britânica, mulheres fumantes têm propensão a sentir menos prazer durante o ato sexual e mais dificuldade em chegar ao orgasmo.

Vale lembrar que o cigarro provoca também inúmeras outras doenças, como câncer de pulmão, de boca e laringe, problemas cardiovasculares, entre outros. Mais do que uma questão de saúde, abandonar o cigarro é uma escolha de melhoria da qualidade e quantidade de vida.

Em caso de maiores dúvidas, consulte sempre um especialista.

Será que a perda de peso vai fazer bem para você?

Perder peso é o desejo de grande parte da população. Mas será que esse seria um bom caminho para sua vida?

Antes de tomarmos uma decisão, devemos entender algo muito importante: a nossa relação com a comida. Muitas vezes, os alimentos se tornam nossa única fonte de prazer, sustentando-nos nos momentos mais difíceis de nossas vidas e se tornando um ponto de fuga da realidade.

Então, se desejamos mesmo perder peso, devemos estar dispostos a repensar bastante nossa jornada, se preparando para enfrentar dilemas e traumas que haviam sido soterrados em nosso inconsciente. Tratar o psicológico muitas vezes é a forma eficaz de se começar uma dieta. Mudar o foco e interesse nos alimentos é uma das tarefas mais difíceis para quem quer ficar mais contente ao subir na balança.

Além disso, dietas que parecem milagrosas podem funcionar por um curto período de tempo, mas não são sustentáveis a longo prazo. Devemos, na verdade, adequar a alimentação à nossa própria realidade.

Além disso, não é sempre que diminuir o número de quilos é o mais saudável. Frequentemente trocar gordura por músculo (mantendo o mesmo peso) é a melhor equação.

Não se esqueça: na dúvida, consulte um nutrólogo.

 

Saiba mais sobre a disfunção erétil causada por estresse

Quando o assunto é disfunção erétil ou problemas de libido (interesse sexual) em homens de até 40 anos de idade, temos como principais causas os fatores psicológicos, notadamente estresse e ansiedade. Esse dado foi confirmado por recente pesquisa portuguesa, com 5.255 homens europeus entrevistados.

Vida conturbada com certeza atrapalha seu desempenho sexual. Nosso sistema nervoso é encarregado de processar estímulos externos e internos em relação ao nosso corpo, dando ordens e fazendo com que nosso organismo funcione. Caso haja um foco de estresse ou ansiedade muito intenso, os processos que desencadeiam a ereção podem ser dificultados.

Vale lembrar que a disfunção erétil também pode ser causada por outros problemas, como doenças renais, neurológicas, diabetes, pressão alta, câncer de próstata, entre outras.

Como enfrentar o problema?

Dizermos apenas “evitar stress” é uma forma muito simplista de resolvermos as coisas. Na verdade, qualquer hábito que nos torne mais sadios deve ser adotado: alimentar-se e hidratar-se bem, praticar exercícios físicos, abandonar costumes prejudiciais, como o tabagismo e etilismo; cuidar da saúde em geral (tomar as medicações de que precisa) e ir regularmente ao médico.

Não se esqueça: na dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Saiba a importância de levar uma vida mais leve e descontraída

É consenso entre cientistas, médicos e psicólogos a importância da risada para a saúde do ser humano. Conforme nos alegramos, ativamos em nossos cérebros a produção de endorfina e serotonina, substâncias que atuam de maneira similar aos antidepressivos, sendo responsáveis por sensações de relaxamento, felicidade e satisfação.

Pesquisa realizada pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, mostra na prática: 85% dos pacientes de depressão que participaram do processo sentiram melhora após o riso ser provocado através do óxido nitroso.

A substância, conhecida como “gás do riso”, é amplamente utilizada na medicina e na odontologia, servindo como anestésico para relaxar pessoas que se mostram tensas antes de procedimentos cirúrgicos.

No Brasil, o Ibope Conecta realizou recentemente uma pesquisa sobre o tema, tentando entender a conexão entre a leveza e a felicidade na vida dos cidadãos. De acordo com o órgão, foi concluído que há uma conexão direta entre um comportamento mais leve e a obtenção de prazeres no dia a dia.

Nossa população se divide em três grupos: 49% variam o humor, 22% têm personalidade controladora, criando angústias e frustrações diariamente; alem de um especial grupo de 29%, que demonstra encarar a vida com leveza, tendo uma rotina mais feliz, mesmo diante de dificuldades nas mais diversas situações.

Então, por mais que as coisas se mostrem difíceis, tente se alegrar e trazer leveza para seu ambiente, pois isso pode ajudar a enfrentar a vida.