Saiba como o sorriso pode mudar sua vida

O bom humor no trabalho é um dos fatores mais importantes para nosso crescimento profissional. Essa é a conclusão de um estudo realizado recentemente pela empresa Robert Half e publicado pela revista Forbes. sorriso.

De acordo com a firma, líder mundial em recrutamento, mais de 90% dos executivos entrevistados acreditam que ter um bom senso de humor é fundamental para a ascensão profissional. Os consultados dizem que um candidato ou funcionário com ânimo positivo demonstra boa inteligência emocional, destacando-se e ajudando a diminuir atritos na equipe aumentando assim, a produtividade.

A diretora da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro (ABRH-RJ), Monica Esteves, diz que um ambiente sem humor propicia grande chance de que os funcionários que ali trabalham desenvolvam doenças decorrentes do estresse.

Para que tudo corra bem, podemos pensar em algumas maneiras de desfazer o clima tenso no trabalho:

– Procure ser feliz e trabalhar com algo que goste. Muitas vezes isso não é possível, mas podemos encontrar prazer mesmo em atividades que, a princípio, não são de nossa preferência.

– Evite conflitos e, quando acontecerem, resolva-os rapidamente. Não invista em briga e situações desconfortáveis, ao contrário, tente resolver qualquer problema de maneira rápida e gentil.

– Sorria e se desculpe, caso esteja errado.

– Espalhe o bom humor, tente fazer com que todos se sintam bem naquele ambiente.

Lembre-se: não exagere nas brincadeiras. Alguns ambientes exigem determinadas posturas mais sérias e o excesso de descontração pode se tornar prejudicial. Saiba sempre dosar seu bom humor, para que seu comportamento animado não cause transtornos para outras pessoas.

 

Tristeza X depressão: o desafio de ser feliz

Tristeza X Depressão

Atualmente, com a explosão do uso de redes sociais, muita gente ostenta felicidade plena e constante. Seria real?

Claro há pessoas mais felizes que outras, mas qualquer indivíduo alterna momentos alegres e tristes. É natural! Todos temos problemas. Mas é fato que as redes sociais “maquiam” os momentos tristes e enaltecem os felizes. A ideia de mostrar uma vida de sucesso e sem problemas parece ser uma obsessão para muitos.

Depressão

A maioria dos pacientes que sofre de depressão não sabe do seu próprio diagnóstico. É caracterizada por tristeza persistente e pela falta de interesse em qualquer tipo de atividade. Há também mudanças no sono, no apetite, inquietude, indecisão, ansiedade e pensamentos suicidas, entre outros.

Cerca de 4,4% da população mundial é afetada pela depressão, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). São mais de 322 milhões de indivíduos no mundo, sendo que houve incremento de 18,4% nesse número entre 2005 a 2015.

No Brasil, 11,5 milhões de habitantes (5,8% da população) são acometidos por comportamento depressivo. Temos a segunda maior prevalência de depressão quando reunimos todos os países da América Latina, Central e do Norte, perdendo apenas para os Estados Unidos (5,9%).

Ajuda médica

Devemos sempre tentar diferenciar tristeza de depressão. Todos passamos por momentos tristes e difíceis em diferentes pontos de nossas vidas; mas, se esta sensação é permanente e nunca te abandona, é indicado procurar um médico especialista no assunto.

 

Envelhecimento saudável

Pesquisa divulgada pelo IBGE em 2016, constatou que a população idosa brasileira cresceu 16,0% em comparação a de 2012, chegando a 29,6 milhões! O perfil populacional em nosso país tem mudado, o que nos obriga a dar mais atenção à forma como estamos envelhecendo. Hipócrates dizia: “ Que seu remédio seja seu alimento e que seu alimento seja seu remédio”. Realmente a forma como nos alimentamos define como será a nossa saúde e como reagirá o nosso sistema imunológico através dos anos. Uma dieta equilibrada, aliada a exercícios físicos parece ser uma “fórmula” para um envelhecimento saudável.

 

Para envelhecer com saúde, é primordial adotar um estilo de vida saudável desde cedo. Abaixo destacamos alguns alimentos, fontes de uma dieta equilibrada:

Alimentos

– Proteínas: Contêm a gama completa de aminoácidos essenciais. Suas principais fontes são os animais (carne bovina ou suína, peixe, ovos e produtos lácteos).

 

– Frutas, verduras e legumes: Poderosos antioxidantes que devem fazer parte da nossa dieta.

 

– Cereais integrais: São ricos em fibras, ajudando a diminuir o colesterol.

 

– Frutas oleaginosas: Incluímos aí as castanhas-do-pará, nozes, castanhas de caju e amêndoas. Devem ser consumidas diariamente, em pequenas porções. São fontes de gorduras boas (as monoinsaturadas e as poli-insaturadas). Protegem o coração e possuem efeito anti-inflamatório.

 

– Água: Componente essencial de todos os tecidos corpóreos, estando presente nas reações químicas, respiração, circulação, funcionamento dos rins, digestão, sistemas de defesa, pele, entre outros. Recomenda-se, em média, a ingestão de 2 a 3 litros de água por dia.

 

Além de aumentar a expectativa de vida, uma dieta saudável promove uma melhoria na saúde e ajuda a prevenir doenças como câncer, osteoporose, problemas cardíacos, diabetes, Alzheimer e Parkinson.

 

Bom humor faz bem à saúde

Um dos grandes segredos para se viver bem é o bom humor. Possuir uma certa “flexibilidade” para encarar os acontecimentos ruins não garante apenas algumas risadas, mas pode fazer muito bem à sua saúde.

 

Um indivíduo bem-humorado sofre menos porque produz mais endorfina, um hormônio relaxante. Além disso, a endorfina também controla a pressão sanguínea, melhora o sono e o desempenho sexual, além de aumentar a capacidade de controlar a dor. As pessoas que sabem se divertir (e rir) são geralmente mais saudáveis e têm mais facilidade para sair de situações de estresse.

 

Indivíduos mal-humorados ficam mais angustiados, provocando liberação no corpo de hormônios como a adrenalina, que causa palpitação, taquicardia, mãos frias, dor de cabeça, dificuldades na digestão e irritabilidade.

 

Alguns alimentos também podem ajudar a melhorar seu humor. A banana, que, entre outros nutrientes, possui vitamina B6, previne depressão, ansiedade, irritação e ainda atua no sistema cognitivo, com a síntese de neurotransmissores. O espinafre possui boas doses de potássio e ácido fólico que, por sua vez, ajudam nos quadros de depressão, esquizofrenia e no combate a doenças degenerativas. A laranja, a acerola e o brócolis, ricos em vitamina C, auxiliam na redução da quantidade de hormônios ligados ao estresse físico e emocional.

 

Está esperando o que para começar a levar uma vida mais leve e bem-humorada?

 

Dia Mundial da Saúde: vamos debater uma ‘Saúde para todos’?

Em 07 de abril de 2018, o Dia Mundial da Saúde debate a “Saúde para todos”. O dia coincide com a data de criação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e seu tema resume o objetivo da instituição que, ao longo dos seus 70 anos de existência, propõe-se a debater temas para bem-estar da saúde para pessoas de todo globo.

 

Oficialmente comemorada desde 1950, o objetivo é conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde em busca de uma melhor qualidade de vida.

 

Definição

 

Segundo a OMS, saúde pode ser definida como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste apenas na ausência de doença ou de enfermidade”.

 

Segundo o Artigo 196 da Constituição Federal Brasileira de 1988, “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. “

 

Saúde plena

 

Falar em saúde não significa apenas investimento em construção de hospitais e distribuição de medicamentos. Também faz parte a prevenção às doenças, melhor investimento da infraestrutura para as cidades, melhor mobilidade urbana, parques para atividades físicas, saneamento básico, alimentação de qualidade, além de educação para a população.

 

Faça um check-up antes de começar a malhar

Vai investir nas atividades físicas? Não esqueça de fazer o check-up

 

O Brasil entrou de vez para a onda fitness. Basta olhar para as academias, os parques, praças e as selfies do Instagram.

 

A rotina de treinos e os objetivos são diferentes para cada tipo de pessoa. No entanto, há uma recomendação que vale para todos: antes de começar a sua rotina de treinos, procure um médico! Comente com ele sobre os seus planos e o que você busca com a atividade física que escolheu.

 

Com exames específicos, seu médico poderá auxiliar o início de suas atividades.

 

Exames importantes

 

Algumas dessas avaliações são o Teste de Esforço, que avalia suas condições cardiorrespiratórias; exames de sangue, em que o médico poderá avaliar se você apresenta algum problema como anemia, deficiência de vitaminas, problemas nos rins e fígado. Com os exames de sangue, o profissional também pode auxiliar na suplementação de vitaminas e minerais.

 

A bioimpedância complementa a avaliação da composição corporal (gordura e músculo) do paciente. O eletrocardiograma checa a atividade elétrica do coração, como arritmias, bloqueios ou sobrecargas, para prevenir infartos.

 

O ecocardiograma verifica as estruturas do coração por meio da ultrassonografia.

 

Por último, há a calorimetria indireta, que verificará o seu gasto energético diário em repouso e durante a atividade física.

 

Cuidado nunca é demais

 

Além da prática de atividade física regular, procure uma alimentação saudável e previna-se de doenças crônicas como hipertensão, diabetes e problemas de colesterol e triglicérides. Faça seu check-up anualmente.

 

Alimentos X Sono

Muitas vezes a insônia pode estar relacionada com rotina alimentar. Uma forma de evitar o problema é incluir na dieta alimentos que estimulam o organismo a produzir melatonina, o nosso hormônio do sono: frutos do mar, banana, grão de bico, leite quente, iogurte, oleaginosas, como amêndoa e pistache, folhas verdes, como couve, espinafre e acelga, chá de camomila, maracujá, cereja, arroz, tomate, abacaxi e laranja.

Além disso, recomenda-se evitar à noite alimentos estimulantes do sistema nervoso central: café, certos chás (preto, mate, verde), açaí, gengibre e pimenta, bem como evitar alimentos ricos em gordura, que promovem lenta digestão, podendo levar a azia e refluxo. Recomendado também não jantar muito próximo do horário de dormir, pois a digestão pode atrapalhar o seu sono.

Estas são algumas dicas que podem ajudar você a dormir melhor, porém, é sempre importante pedir ajuda a um médico nutrólogo.

 

Praticar corrida é tudo de bom!

2018 já começou!  Vamos tirar do papel aquelas metas que você estabeleceu na virada do ano? Praticar atividade física é uma delas. Você sabia que correr cerca de 30 a 40 minutos por dia, três vezes por semana, é uma excelente forma de gastar energia, desenvolver a musculatura e, ao mesmo tempo, perder gordura?

Se você quer sair do sedentarismo e começar a praticar uma atividade física, mas não gosta do clima de academias, a corrida pode ser uma ótima solução.

 

 

Veja algumas dicas simples e comece a praticar:

– Escolha um bom tênis, levando em consideração, inclusive, o tipo de pisada que você tem. Usar o tênis certo evita lesões de esforço, fraturas de stress e melhora o seu desempenho durante a corrida;

– Alimente-se antes de correr. Exercitar-se em jejum causa fraqueza, podendo levar a acidentes no treino ou até mesmo desmaio;

– Intercale caminhada e corrida. Desta forma você poderá adquirir condicionamento físico mais eficientemente.  Os primeiros treinos devem priorizar a duração e não a intensidade;

– Alongue-se pelo menos 3 vezes por semana para melhorar a mobilidade articular e a flexibilidade. Isso diminui o risco de lesões.

– Comece devagar, no seu ritmo. O excesso é o maior causador de lesões nas articulações e fadiga extrema. Conforme os treinos forem evoluindo, você vai notar melhora do ritmo, cada vez mais forte, sem que a frequência cardíaca suba tanto.

Agora é só colocar o tênis e começar a correr!!

Que tal praticar o perdão?

A palavra perdão significa remissão de pena, ofensa ou de dívida. Mas o ato de perdoar é muito mais complexo do que isso. Perdoar faz parte de toda e qualquer relação humana e é uma das melhores formas de demonstrar generosidade a alguém.

 

Quem não perdoa entende que mantém o outro não liberto, mantendo-o em culpa. Na realidade, quem mais sofre é a própria pessoa. Não perdoar faz permanecer com a dor, causando-lhe mal. Não saber perdoar nos mantêm aprisionados a sentimentos ruins, como a raiva e ressentimento. Ao contrário, saber perdoar liberta feridas do passado e deixa pra trás qualquer carga emocional negativa.

 

 

E não perdoar faz mal à saúde? Segundo especialistas, pessoas em constante estado de raiva e ressentidas sofrem de maior estresse físico e psíquico, ocasionado por liberação extra de alguns hormônios.

 

E adianta em algo perdoar somente “da boca para fora”, chamado de perdão racional? É uma forma de esquecer dos problemas, mas não resolvê-los. Vale mesmo a pena o perdão emocional, quando deixamos as sensações negativas. O benefício real para o corpo acontece somente nessa situação, diminuindo estresse, níveis de cortisol e, em última instância, melhorando a saúde do coração e de todo o corpo.

 

Enfim, perdoar ou pedir perdão não é fácil, mas é necessário para o bem-estar. Relaxamento e sensação de auto controle também acompanham-se desse ato. O perdão também aumenta a oxitocina (hormônio do relacionamento), serotonina e a dopamina, (neurotransmissores que melhoram o humor), melhorando globalmente a imunidade.

 

Vamos praticar a arte de perdoar?

Atividade física noturna: bom ou ruim?

Se exercitar é muito importante e traz diversos benefícios à saúde. Mas, e sobre exercícios noturnos? Algum prejuízo para o sono? Confira!

Por vezes, a noite é a única opção para o trabalhador se exercitar e muitos se questionam se atividades físicas nesse horário podem trazer algum prejuízo ao organismo. Pelo fato delas liberarem adrenalina e outros estimulantes naturais, muitos temem ficar com insônia e cansaço no dia seguinte. Mas, estudos apontam que, pelo contrário, exercícios podem até favorecer o repouso.

As atividades moderadas, mesmo sendo realizados depois do pôr do sol, promovem a liberação de substâncias relaxantes ao corpo. Vale salientar que o corpo leva cerca de duas horas para voltar ao ritmo e à temperatura normais. De uma maneira geral, os especialistas acreditam que mesmo na calada da noite os exercícios são muito preferíveis ao sedentarismo. As atividades físicas ajudam a controlar doenças crônicas como aumento da pressão arterial e colesterol, diabetes e a ansiedade, porém não podem ser trocadas pelo sono, que deve ser restaurador e ter seu o horário preservado.

Portanto a principal regra de quem é praticante de exercícios noturnos é respeitar o próprio sono, que jamais deve ser negligenciado. Se, ao longo do dia seu trabalho requer muita energia, tenha em mente que durante a noite seus rendimentos na malhação podem ser reduzidos.

A faixa recomendada para treinar na parte da noite é até às 22h. Evite treinos exaustivos e não madrugue nas academias 24h. Outra dica valiosa é  reduzir a intensidade do treino, gradativamente à medida que ele está se encerrando. Dessa forma,  o corpo já inicia um descanso para o sono que vem a seguir.

É só escolher a modalidade e ir adiante: o esporte ideal é aquele que mais te dá prazer!