Junho: mês da conscientização da infertilidade

Junho é reconhecido como o mês Mundial da Conscientização da Infertilidade e tem o objetivo de alertar para essa causa. Um casal é considerado infértil quando, após um ano de relações sexuais frequentes, desprotegidas e bem distribuídas ao longo do ciclo menstrual, não ocorre gestação. Cerca de 1 em cada 5 casais têm problemas para engravidar e acabam precisando de ajuda especializada. Aproximadamente 1/3 dos casos acontecem por problemas exclusivamente masculinos ou femininos e 1/3 por contribuição dos dois.

A varicocele – dilatação que ocorre nas veias presentes dentro do escroto –

 é a causa mais comum (e tratável) de infertilidade masculina. Ocorre por veias dilatadas e tortuosas na região do escroto. Outros fatores também podem causar este problema, como a criptorquidia (quando não houve descida correta do testículo para o escroto), histórico de torção testicular, infecções do trato genital masculino, inflamação testicular e outros. Infelizmente, cerca de 25% das causas são desconhecidas, não possuindo tratamento específico.

Já nas mulheres, a idade – acima de 35 anos –  é o fator que mais afeta a fertilidade, seguida por outros como endometriose, síndrome do ovário policístico (SOP) e alterações tubárias.

Tanto no homem como na mulher, a obesidade pode comprometer a fertilidade. O excesso de peso pode desencadear desequilíbrios hormonais que afetam a produção de espermatozoides e também a ovulação.

Em casos de infertilidade, o casal deve buscar ajuda especializada para realizar exames em ambos a fim de descobrir a causa do problema. O tratamento varia exatamente de acordo com o motivo da infertilidade. Quando não existe uma causa definida ou há impossibilidade de correção, indica-se um dos métodos de fertilização assistida.

Em caso de dúvida, consulte sempre um especialista.