Metrópoles: Goza que o sono vem: entenda o porquê da masturbação te ajudar a dormir

Especialista explica motivos da sensação de relaxamento pós-orgasmo e responde se a masturbação é uma opção de tratamento para insônia

Ainda que o orgasmo seja o pico máximo de prazer e uma explosão de euforia e excitação, quem já teve um sabe que o que vem logo após é o extremo oposto: relaxamento instantâneo e até aquele soninho.

Por conta disso, há quem inclusive lance mão da masturbação quando está com dificuldades para conseguir dormir. Mas, afinal, por que se masturbar dá sono?

De acordo com o urologista e sexólogo Danilo Galante, o corpo passa por um gasto de energia intenso durante um orgasmo.

“Ocorre a contração de vários músculos ao mesmo tempo, todo o assoalho pélvico se contrai. E como em qualquer outra atividade física, isso gera um gasto energético e causa um cansaço logo na sequência”, explica.

Além disso, também há no ápice do prazer a liberação de diversos hormônios que contribuem para a sensação de moleza. “São descarregados vários hormônios, como a endorfina e a adrenalina, e após isso vem uma sensação de relaxamento comum, tanto nos homens como nas mulheres”, diz Danilo.

Masturbação para a insônia?

Desta forma, o urologista afirma que se masturbar ajuda qualquer pessoa a dormir – desde alguém com uma simples dificuldade até os pacientes com insônias mais graves ou pessoas com ansiedade.

“Tem pacientes com extrema ansiedade que depois da masturbação conseguem dormir, e o motivo é justamente esse relaxamento pós-orgasmo, que faz o paciente se acalmar”, aponta.

Contudo, o profissional faz o alerta: estabelecer um tratamento para insônia baseado nisso pode não ser uma boa ideia. Há a possibilidade de, com isso, criar uma relação entre o sexo e o problema de sono.

“A pessoa ter um orgasmo, que é para acontecer de uma forma espontânea e ser algo prazeroso, acaba virando algo programado. Perde o sentido da masturbação. Talvez até facilite, mas não acho vantajoso vincular ou sugerir como tratamento”, finaliza.

Clique aqui e leia a matéria na integra!