Como tratar a ejaculação precoce

A ejaculação precoce é a incapacidade do homem em segurar o orgasmo de maneira satisfatória para ele ou sua parceira(o), sendo considerada um distúrbio caso ocorra em mais da metade das relações. O problema atinge homens de todas as idades e sua  causa ainda é pouco explicada.

Em seu quadro primário, o problema está ligado à insegurança de não ter um bom desempenho sexual, gerando mais ansiedade com as próximas relações. Na adolescência, a falta de experiência é o gatilho mais comum para a situação.

O tratamento consiste em reeducação sexual, treinamento psicológico e comportamental e uso de medicações (não obrigatório) por um curto período de tempo. Veja no meu site, na sessão de doenças sexuais, orientações e dicas sobre ejaculação precoce.

Em todo caso, o acompanhamento de um urologista é fundamental para a realização do melhor tratamento.

 

Você levanta muito para ir ao banheiro durante a noite?

Se você levanta muitas vezes para ir ao banheiro durante a noite (mais de duas vezes), interrompendo o seu ciclo de sono, você deve ser investigado. Principalmente em relação a doenças da próstata.

O envelhecimento é o principal fator que leva ao aumento benigno da próstata, principal causador do problema. No entanto, há outras situações que levam a isso: ingerir excessivamente líquidos antes de dormir; medicamentos diuréticos, diabetes descompensada, ansiedade, infecção urinária e distúrbios do sono (apneia e insônia).

O paciente nunca deve se acostumar ao fato de levantar-se para urinar. Ele deve sempre procurar um urologista e realizar exames de sangue, análises dos níveis de glicemia, glóbulos brancos, avaliação da urina e dos sintomas de próstata (quando homem). O tratamento é específico para a causa do problema.

O que é RTU de Próstata?

A Ressecção Transuretral (RTU) da Próstata é um dos procedimentos mais comuns do urologista. É indicado para casos de HPB, a Hiperplasia Prostática Benigna, popular próstata crescida.

Apesar de pouco conhecida, a Hiperplasia Prostática Benigna é uma das doenças mais comuns do homem e consiste em um crescimento benigno do tecido prostático. Ela começa a ocorrer a partir dos 50 anos de idade e tende a ser ininterrupto.

Há diversas cirurgias para Hiperplasia Benigna, que são escolhidas de acordo com a necessidade do paciente e suas condições clínicas (como idade, existência ou não de hipertensão, diabetes, entre outras). Todas as técnicas têm a finalidade de diminuir o volume interno da próstata. Uma das opções é a RTU. Consiste na ressecção da próstata em camadas, com auxílio de alça elétrica, que corta o tecido prostático. Conhecida também por “raspagem da próstata”, esta é a mais popular das cirurgias de próstata.

A RTU também pode ser feita com uso de laser, consistindo na ressecção do tecido prostático com utilização de laser. Tem sua principal indicação em paciente que tomam AAS (aspirina) ou anticoagulantes, mas pode ser utilizada em qualquer paciente que esteja urinando mal e necessite desobstruir a próstata cirurgicamente.

Saiba mais sobre a campanha Dezembro Laranja

 

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) entra anualmente com a campanha Dezembro Laranja visando estimular a prevenção e o diagnóstico do câncer de pele, o mais comum na maioria dos países do mundo, incluindo o Brasil.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), 30% de todos os tumores malignos no país são de câncer de pele. Para os anos de 2018 e 2019, a estimativa é de 165.580 mil casos novos – número que apesar de grande, mostra redução de 10 mil casos em relação ao biênio anterior. A doença acomete um pouco mais de homens (85.170 mil) do que de mulheres (80.410 mil).

O câncer de pele pode se manifestar de formas distintas, sendo as mais comuns o carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular (chamados de câncer, não melanoma) e o terceiro tipo, o melanoma, menos comum, porém muito mais agressivo e letal.

Se diagnosticados a tempo, os tumores de pele têm chance de cura superior a 90% após cirurgia para remoção ou destruição da lesão por frio ou calor.

Para a prevenção da doença, devemos nos prevenir da principal causa: exposição ao sol. Portanto, evite horários de maior incidência solar (das 10h às 16h); utilize chapéus e bonés, além de óculos de sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo; mantenha-se hidratado e tente, sempre que possível, permanecer na sombra.

Também é muito importante o uso de protetor solar com fator 30 (no mínimo) diariamente, reaplicando a cada duas a três horas ou depois de longos períodos na água. Assim se explica o tema da campanha em 2018: “Se exponha, mas não se queime”.

Em caso de dúvida, consulte sempre um especialista.

Saiba mais sobre a Mycoplasma genitalium, DST que vem preocupando médicos

Infecção pouco conhecida, tornou-se uma recente DST (doença sexualmente transmissível) a preocupar médicos em todo o mundo. 

 

A doença é causada por uma bactéria, transmitida através de contato sexual com um parceiro(a) contaminado(a). Nos homens, causa a inflamação da uretra, levando à liberação de secreções e dores na hora de urinar. 

 

 

Já em mulheres, pode inflamar o útero e as trompas uterinas. Assim, provoca dor, febre, sangramento e, em casos mais graves, até mesmo a infertilidade.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, apesar da doença ocorrer mais na Europa, o Brasil já vem monitorando esta condição. Ainda não se sabe quantas pessoas foram atingidas no território brasileiro, mas estudos regionais afirmam que a Mycoplasma genitalium é muito menos frequente que outras doenças sexualmente transmissíveis.

 

Para evitar este e outros tipos de DST, sempre se previna durante as relações sexuais. E na dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Clique aqui e saiba mais sobre as DST’s

Saiba mais sobre as verrugas genitais

Verrugas genitais ocorrem em homens e mulheres. São causadas por variações do Papilomavírus Humano, mais conhecido como HPV, sendo a Doença Sexualmente Transmissível (DST) mais comum. Embora de tratamento simples e sem consequências sérias para o homem, as verrugas merecem atenção, pois ao ser transmitido para a mulher torna-se grande responsável pelo câncer de colo de útero, com grande mortalidade nas mulheres.

Em ambos os sexos, o HPV pode causar câncer de uretra, boca e região orofaríngeo além do câncer anal. Também é associado ao câncer de pênis.

A transmissão se dá através de relações sexuais realizadas sem o uso de preservativos, com a aparição das verrugas podendo ocorrer até mais de um ano após o ato.

Geralmente, as verrugas genitais aparecem nos órgãos sexuais, mas também podem estar presentes em torno do ânus, no canal anal ou na virilha do paciente. Podendo ser pequenas ou grandes, cor da pele, rosadas ou marrons e ter aspecto rugoso e áspero.

Normalmente, o tratamento das verrugas é feito por cauterização e destruição total das lesões. Pequenas verrugas podem ser tratadas com cremes / pomadas, podendo também ser indicada a retirada, quando em grande quantidade, através de cirurgia.

Saiba mais sobre o HPV

Na dúvida, consulte sempre um especialista.

Clique aqui e saiba mais sobre as DST’s

Conheça os riscos de ter altos índices de testosterona

A testosterona é essencial no corpo masculino, mas pode oferecer riscos quando em excesso no organismo.

Mas o que é testosterona?

Considerado o principal hormônio masculino (mulheres, em baixa quantidade), é formado a partir do colesterol.

Nos homens, é produzido nos testículos e tem função anabólica, sendo responsável pelo crescimento dos ossos e músculos. Além disso, também possui função androgênica, desenvolvendo as características sexuais masculinas: produção de espermatozoides, órgãos sexuais, crescimento de pelos, barba, entre outras.

Embora o baixo nível de testosterona seja prejudicial ao organismo, o alto também é. Segundo pesquisa realizada por cientistas de diferentes países, entre eles Irlanda, França e Estados Unidos, picos de testosterona provocam comportamento agressivo em homens, exacerbando reações. Ou seja, eles podem reagir de modo mais drástico a situações difíceis (comportamento “explosivo”).

Também está claro que há incidência significativamente maior de eventos cardiovasculares em pacientes com testosterona acima do limite. Portanto, há maior chance de infarto e AVC (“derrame”).

Sintomas de excesso de testosterona em homens: alterações de humor e agressividade, excesso no crescimento de pelos, aumento não natural de massa muscular e atrofia dos testículos (um terço dos homens têm infertilidade e impotência). Além disso, também pode causar pressão alta, aumento das mamas, distúrbios do sono e aumento do nível de colesterol.

Em mulheres, o hormônio aparece em pequena quantidade, sendo produzido nas glândulas suprarrenais. Seu excesso causa masculinização do organismo feminino, com sintomas como crescimento de pelos, voz mais grossa, maxilar mais largo e diminuição dos seios. Também pode ocorrer aumento do clítoris, aumento do apetite e perda das formas naturais do corpo, entre outras.

Não se esqueça: na dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Incontinência urinária no pós-parto: mais comum do que você imagina

Um problema muito frequente em mulheres que acabaram de se tornar mães é a incontinência urinária. A seguir, saiba mais sobre essa condição.

 

Incontinência urinária significa uma incapacidade de armazenar e controlar a saída da urina. As perdas são diversificadas, podendo variar em frequência e quantidade de líquido expelido.

 

Existem vários fatores que contribuem para esta doença. O principal é o enfraquecimento dos músculos pélvicos da mulher. Ocorre com maior frequência na gestação, após nove meses suportando o peso da barriga e também depois de passar pelo esforço de expelir o bebê (nos casos de parto normal). O número de gravidezes (e principalmente de partos) aumenta a chance de ocorrer incontinência. Obesidade materna, peso do recém-nascido (mais de 4 quilos); o uso de fórceps e um longo período de trabalho de parto são outros fatores importantes na ocorrência da incontinência.

 

É importante ressaltar que a incontinência urinária é comum nos primeiros dias após o parto, durando no máximo 4 semanas. No entanto, se isso permanecer, é necessário consultar um urologista. O tratamento inicial consiste em exercícios de fisioterapia, voltados para reforçar os músculos perianais.

 

Em casos mais graves, pode ser necessária a colocação de um dispositivo na bexiga, que visa recuperar o controle da urina.

 

Tendo dúvidas, consulte sempre um urologista.

 

Saiba como o autoexame dos testículos é importante na prevenção do câncer

Segundo dados obtidos pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), os tumores nos testículos correspondem a 5% do total de cânceres entre homens brasileiros. Apesar de poder levar a morte, é um tumor de alto índice de cura, quando detectado a tempo de realizar seu tratamento.

AUTOEXAME

O procedimento deve ser realizado mensalmente e feito da seguinte maneira:

– Fique em pé, de frente para o espelho e observe seu escroto. Note se existe alguma alteração na forma, textura ou cor da pele.

– Examine cada testículo com as duas mãos, posicionando-o entre os dedos indicador, médio e polegar.

– Mexa o testículo entre os dedos. Homens tem muita sensibilidade nessa região. Desconforto leve é normal.  Não se assuste também se notar diferença de tamanho entre cada testículo, uma característica normal.

– Procure pela presença de caroços ou qualquer estrutura diferente no testículo.

– Você também deve palpar o epidídimo, que é um pequeno cordão, localizado atrás do testículo (responsável por carregar o esperma).

– Caso você encontre alguma anormalidade nos passos acima, procure um urologista. Não necessariamente isso é sinal de câncer, mas devemos checar melhor isso.

Em caso positivo de câncer, o testículo é retirado. As funções sexuais e reprodutivas do paciente não costumam ser afetadas, desde que o outro testículo siga saudável.

Não se esqueça: na dúvida, consulte sempre um especialista

Saiba mais sobre a reversão de vasectomia

Cerca de 10% dos homens que se submeteram a uma vasectomia passam a desejar uma reversão do procedimento. Normalmente, a decisão é motivada por um segundo casamento, em que a nova esposa deseja um filho. Essa situação tornou-se cada vez mais comum nos dias de hoje.

 

Para que relembremos o que é a vasectomia, segue uma rápida explicação: neste método, os ductos deferentes dos homens são secionados e separados, o que impede a passagem de espermatozoides. Assim, embora o paciente siga ejaculando e tendo prazer sexual normalmente, ele não será mais capaz de gerar um filho.

 

Na reversão, é feita a recanalização dos ductos, permitindo novamente a passagem do esperma na hora da ejaculação. Com a tecnologia atual, a cirurgia é realizada com o auxílio de microscópio e fios cirúrgicos extremamente finos, fazendo a junção das partes que haviam sido desligadas.

 

As taxas de sucesso da reversão são altas, mas variam de acordo com o tempo de vasectomia do paciente. Taxas de espermatozoides e de gravidez são diferentes.  Abaixo destacamos a chance de gravidez:

  • 3 anos ou menos, as chances de o homem ser capaz de engravidar sua parceira novamente é de 76%.
  • 3 a 8 anos, a possibilidade é de 53%.
  • 9 a 14 anos atrás, a taxa é de 44%.
  • Mais de 15 anos, há uma chance de 30% de gravidez.

 

A duração da operação gira em torno de duas horas, com a cirurgia sendo considerada de pequeno porte e rápida recuperação. O paciente permanece poucos dias em repouso, podendo voltar a dirigir logo e retorna com relações sexuais após 30 dias.