Por que o risco de pedras nos rins aumenta no calor?

O calor intenso do verão, o aumento da transpiração e a baixa ingestão de água são os principais responsáveis pelo aumento do risco de formação dos cálculos renaispopularmente conhecidos como pedras nos rins

Segundo o Centro de Referência para a Saúde do Homem, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, os casos de cálculo renal aumentam 30% nos períodos mais quentes do ano. Estima-se que homens tenham mais cálculos que mulheres. 

Em geral, os cálculos renais são formados em pacientes com pré-disposição genética, ou seja, a maioria tem histórico familiar positivoA consolidação das pedras acontece quando o soluto (mineral) está em uma concentração acima do que o solvente (urina) consegue diluir.

Em resumo, para que ocorram pedras nos rins, é preciso ter uma urina com pouca água, muito mineral ou a junção dos dois. A pedras são compostas por cálcio (90%h, ácido úrico, cistina, estruvita ou mista. Sabe-se que, independentemente da estação do ano, há maior risco em formar pedras quando o paciente perde bastante água e não faz a reposição adequada, possibilidade ainda aumentada com consumo exagerado de alimentos contendo altas concentrações de sódio e proteína.

Portanto, a dieta ideal inclui alta ingestão de líquidos  cerca de dois litros/dia de água e/ou sucos cítricos, associado à diminuição do uso de sal nos alimentos. As refeições diárias devem conter uma quantidade razoável de verduras, legumes e frutas.