SEGS: Indicada em alguns casos, cirurgia de fimose pode ampliar o prazer e diminuir as chamadas DSTs

Caracterizada como o excesso de pele que recobre o órgão sexual masculino dificultando a exposição da glande, a fimose é uma condição comum em grande parte dos meninos e que tende a desaparecer por volta dos três ou quatro anos de idade.

Quanto isso não acontece, e os medicamentos e os exercícios não funcionam, o médico entra em ação.

Apesar de, inicialmente, gerar preocupação nos pais, a cirurgia é simples e muito benéfica. Na vida adulta pode aumentar o desempenho sexual, uma vez que, sem a pele, a movimentação durante as relações sexuais é mais facilitada e agradável, como explica o Dr. Danilo Galante, urologista e sexólogo. Além disso, a intervenção aumenta a sensibilidade da ponta do pênis, dando muito mais prazer.

“Sem contar que a cirurgia também reduz as chances de se contrair Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), uma vez que a pele é feita de uma mucosa na qual essas doenças podem se instalar” complementa Galante.

Outro benefício é uma melhor higienização do pênis, visto que, sem a pele, a limpeza é mais simples e rápida.

Dr. Danilo Galante – Formado em medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) com especialização em Urologia pela UNESP. Pós-graduado em Cirurgia Robótica pelo Hospital Oswaldo Cruz – SP. Doutorado em urologia pela USP, além de Fellow Observer of Johns Hopkins School of Medicine Brady Urological Institute Laparoscopic and Robotic Urologic Surgery. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia e Instrutor do ATLS (Advanced Trauma Life Support), atua em áreas diversificadas como Cálculos Urinários; Infertilidade (incluindo Reversão de Vasectomia), Disfunção Sexual e Cirurgia Robótica.

Clique aqui para ler a matéria completa.