O que é Doença Renal Policística?

A doença renal policística se dá quando ocorre a presença de diversos cistos nos rins, bilateralmente. Eles crescem lentamente e são preenchidos por líquido, de maneira a formar bolhas de água de vários tamanhos.

 

Existem diversos tipos da patologia, sendo o mais comum a doença renal policística do adulto (DRPA), que atinge pessoas de 30 a 40 anos de idade, de ambos os sexos.

 

Normalmente, as causas são hereditárias, vindas por algum defeito genético herdado nos genes PKD1 (85%) e PKD2 (15%), que passa de pais para filhos de forma dominante.

 

Em alguns pacientes, os sintomas são imperceptíveis, mas outros podem sofrer de dor nas costas, no abdômen e podem ainda apresentar sangue na urina, hipertensão arterial e cólica causada por cálculos renais.

 

A forma mais comum de diagnóstico é o exame de ultrassom. Porém, nem sempre é possível a detecção pelo método tradicional, com cistos pequenos sendo vistos apenas através de tomografia computadorizada renal ou ressonância nuclear magnética.

 

Ainda não há uma cura para a doença, algo que tem sido alvo de diversas pesquisas médicas. Então, o tratamento funciona no sentido de aliviar as dores e sintomas desta condição. O paciente deve ser acompanhado regularmente por um especialista, que pedirá exames específicos para que a saúde seja monitorada da melhor forma possível.

 

Além disso, é importante a adoção de hábitos mais saudáveis, evitando gordura em excesso e afastando costumes nocivos, como o consumo de álcool e tabaco.

 

Não se esqueça: em caso de dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Clique aqui para saber mais sobre problemas renais

Saiba mais sobre a Mycoplasma genitalium, DST que vem preocupando médicos

Infecção pouco conhecida, tornou-se uma recente DST (doença sexualmente transmissível) a preocupar médicos em todo o mundo. 

 

A doença é causada por uma bactéria, transmitida através de contato sexual com um parceiro(a) contaminado(a). Nos homens, causa a inflamação da uretra, levando à liberação de secreções e dores na hora de urinar. 

 

 

Já em mulheres, pode inflamar o útero e as trompas uterinas. Assim, provoca dor, febre, sangramento e, em casos mais graves, até mesmo a infertilidade.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, apesar da doença ocorrer mais na Europa, o Brasil já vem monitorando esta condição. Ainda não se sabe quantas pessoas foram atingidas no território brasileiro, mas estudos regionais afirmam que a Mycoplasma genitalium é muito menos frequente que outras doenças sexualmente transmissíveis.

 

Para evitar este e outros tipos de DST, sempre se previna durante as relações sexuais. E na dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Clique aqui e saiba mais sobre as DST’s