Saiba mais sobre a clamídia e a gonorreia

clamídia e gonorreia

A clamídia e a gonorreia são duas das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) mais comuns em homens .

Ambas são causadas por bactérias (Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae, respectivamente) e apresentam os seguintes sintomas: corrimento de pus pela uretra, dor e inchaço nos testículos, dor e ardência ao urinar, corrimento esbranquiçado na uretra, coceira e hemorragias penianas (para a gonorreia).

O grande perigo é podem ser assintomáticas, principalmente a clamídia. Portanto, o diagnóstico deve ser feito através da consulta com o urologista, realizando exame específico e eventualmente coleta de secreções genitais e urina.

Ambas têm cura obtida de maneira simples, com tratamento sendo ministrado através de antibióticos. Como os sintomas da clamídia e da gonorreia são bastante similares, é comum que o médico indique remédios para as duas doenças em um único tratamento.

Quando não tratadas, as doenças podem causar diversos danos, como infertilidade e inflamações nos testículos e uretra.

É importante ressaltar: mesmo após a cura, o paciente não se torna imune às doenças. Elas podem reaparecer se não houver prevenção durante os atos sexuais.

Vale lembrar que estas doenças também podem aparecer em mulheres, embora isso seja menos comum.

Em caso de dúvida, não hesite: consulte um especialista.

Saiba mais sobre a Mycoplasma genitalium, DST que vem preocupando médicos

Infecção pouco conhecida, tornou-se uma recente DST (doença sexualmente transmissível) a preocupar médicos em todo o mundo. 

 

A doença é causada por uma bactéria, transmitida através de contato sexual com um parceiro(a) contaminado(a). Nos homens, causa a inflamação da uretra, levando à liberação de secreções e dores na hora de urinar. 

 

 

Já em mulheres, pode inflamar o útero e as trompas uterinas. Assim, provoca dor, febre, sangramento e, em casos mais graves, até mesmo a infertilidade.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, apesar da doença ocorrer mais na Europa, o Brasil já vem monitorando esta condição. Ainda não se sabe quantas pessoas foram atingidas no território brasileiro, mas estudos regionais afirmam que a Mycoplasma genitalium é muito menos frequente que outras doenças sexualmente transmissíveis.

 

Para evitar este e outros tipos de DST, sempre se previna durante as relações sexuais. E na dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Clique aqui e saiba mais sobre as DST’s