Sexo oral sem proteção pode transmitir doenças?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a prática de sexo oral sem proteção pode causar diversas doenças como: herpes, HPV, sífilis, gonorreia e, até mesmo, transmitir o HIV, vírus causador da AIDS.

Nas quatro primeiras, basta que exista uma pequena área lesada para que a transmissão do vírus aconteça. No caso do HIV, o risco é menor do que em uma relação sexual convencional desprotegida, mas a infecção também pode ocorrer.

De acordo com o Manual de Controle de IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis), do Ministério da Saúde, as infecções estão entre os problemas de saúde pública mais comuns em todo o mundo, com cerca de 340 milhões casos novos por ano.

Não é apenas o esperma que contém o vírus. O líquido expelido antes da ejaculação masculina e o da secreção vaginal, também podem infectar o(a) parceiro(a). Ferimentos na boca decorrentes de gengivites, aftas e os causados pelas escovas de dentes aumentam o risco de infecção

A maioria das doenças decorrentes de sexo oral desprotegido tem tratamento. No entanto existe o risco de tê-las pelo resto da vida. O melhor caminho, portanto, é a proteção mútua do casal.

Saiba mais sobre a clamídia e a gonorreia

clamídia e gonorreia

A clamídia e a gonorreia são duas das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) mais comuns em homens .

Ambas são causadas por bactérias (Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae, respectivamente) e apresentam os seguintes sintomas: corrimento de pus pela uretra, dor e inchaço nos testículos, dor e ardência ao urinar, corrimento esbranquiçado na uretra, coceira e hemorragias penianas (para a gonorreia).

O grande perigo é podem ser assintomáticas, principalmente a clamídia. Portanto, o diagnóstico deve ser feito através da consulta com o urologista, realizando exame específico e eventualmente coleta de secreções genitais e urina.

Ambas têm cura obtida de maneira simples, com tratamento sendo ministrado através de antibióticos. Como os sintomas da clamídia e da gonorreia são bastante similares, é comum que o médico indique remédios para as duas doenças em um único tratamento.

Quando não tratadas, as doenças podem causar diversos danos, como infertilidade e inflamações nos testículos e uretra.

É importante ressaltar: mesmo após a cura, o paciente não se torna imune às doenças. Elas podem reaparecer se não houver prevenção durante os atos sexuais.

Vale lembrar que estas doenças também podem aparecer em mulheres, embora isso seja menos comum.

Em caso de dúvida, não hesite: consulte um especialista.