Pular para o conteúdo

11 3262-5564 | 11 99267-7369
[email protected]

Conheça os exames preventivos mais importantes para a saúde do homem

imgs blog 13.11.18 EXAMES PREVENTIVOS PARA O HOMEM 300x196 - Conheça os exames preventivos mais importantes para a saúde do homem

A próstata localiza-se abaixo da bexiga e envolve a uretra, em região próxima à bexiga. O câncer de próstata é o tumor mais comum do homem e o segundo que mais mata (perdendo apenas para o de pulmão). O diagnóstico da doença em estágios iniciais é fundamental para a cura. Conheça os exames mais importantes para detectar esta condição.

PSA – Marcador tumoral e principal exame na avaliação inicial do paciente. Quando apresenta alterações, indica prosseguimento da investigação para descartar tumor da próstata.

Exame físico (com toque retal) – Realizado em consultório pelo urologista, é indolor e rápido. Possibilita avaliação de tamanho e palpação de nódulos, indicadores de tumor prostático.

Ultrassonografia – Exame não obrigatório, que pode ser solicitado basicamente pra avaliar tamanho da próstata e avaliação de resíduo miccional, ou seja, se o paciente esvazia toda a bexiga após a micção.

Biópsia da próstata – é solicitada quando há indícios de tumor de próstata. Ela confirma o diagnóstico quando positiva.

Todo homem deve realizar anualmente o exame de toque retal a partir dos 50 anos de idade. Pacientes de alguns grupos específicos (negros, obesos ou com história familiar de câncer de próstata) devem iniciar sua avaliação após os 40 anos de idade.

Leia mais sobre o assunto aqui: https://drdanilogalante.com.br/consulta/doencas-da-prostata/ 

Em caso de dúvida, consulte um especialista.

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Saiba o que são as glândulas de Tyson, bolinhas que aparecem na cabeça do pênis

Muitos pacientes se assustam ao reparar a existência de bolinhas, similares a pequenos espinhos, em volta da base da glande. A seguir, entenda o que são as glândulas de Tyson.

 

Ao contrário do que pode parecer, tais estruturas não são fruto da falta de higiene, de infecções ou de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Estas bolinhas são glândulas responsáveis pela produção de secreção lubrificante, apresentada por homens na hora da penetração, fazendo com que o contato sexual fique mais fácil.

 

blog3 300x300 - Saiba o que são as glândulas de Tyson, bolinhas que aparecem na cabeça do pênis

 

Segundo estudos, entre 8% a 21% dos homens apresentam tais glândulas expostas. Elas ficam aparentes quando a glande é mostrada, com o prepúcio puxado para baixo (ou retirado, via circuncisão).

 

É importante que a região sempre seja lavada, para evitar o acúmulo de oleosidade (esmegma), secreção pastosa que se acumula entre a glande e o prepúcio.

 

Apesar de não representarem nenhum risco ou característica negativa, as glândulas de Tyson podem ser removidas por questões estéticas, piora da autoestima ou insegurança do paciente. No tratamento, o urologista realiza a cauterização da região, removendo totalmente as estruturas. Após aplicação de anestesia local, o procedimento dura em média dez minutos e não traz maiores danos, exigindo um período médio de recuperação para retorno às atividades sexuais de vinte dias.

 

Na dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Clique aqui para saber mais sobre glândulas de Tyson

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Saiba o que causa hipersensibilidade na glande

Uma das reclamações mais comuns entre homens na consulta com o urologista é a hipersensibilidade da glande. Tal condição tem vários fatores, que conheceremos a seguir.

 

A principal delas é a fimose, impossibilidade de retrair completa ou parcialmente a pele do prepúcio. Quando o paciente tenta retrair a pele, expondo a glande, sente muita dor na região. Esta doença tem uma solução bastante comum: a circuncisão, pequena intervenção na qual o médico retira o excesso de pele do prepúcio, deixando a glande exposta.

 

blog2 300x200 - Saiba o que causa hipersensibilidade na glande

 

Outra causa possível de dor na região é alguma ferida. O local é sensível e, quando lesionado, incomoda muito o paciente. Se a hipersensibilidade surgiu repentinamente, pode ser que você tenha ferido a glande, prepúcio ou púbis. 

 

Também é comum a presença da balanite, inflamação na glande causada por falta de higiene ou excesso de umidade local, principalmente em pacientes não circuncidados. Nem sempre causada por fungos, vírus ou bactérias, a doença também pode surgir por irritação local, por exemplo aquelas causadas por certos sabonetes ou preservativos.

 

Outra infecção causada por fungos e que causa dor na glande é a candidíase. Causada por contato sexual com alguma pessoa já portadora desta DST ou ainda por baixa imunidade no paciente, ela pode levar à hipersensibilidade.

 

Em qualquer caso de dor ou sensibilidade na sua região genital, é importante que você consulte um especialista. Somente a visita a um médico é capaz de proporcionar a orientação e o tratamento adequado.

 

Clique aqui para saber mais sobre doenças urológicas

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Conheça as diferenças entre cálculo renal e pedra na vesícula

Os cálculos renais, formados nos rins e em todo o trato urinário, são derivados do acúmulo de cristais existentes na urina. Ocorrem em 12% dos homens e 5% das mulheres, sendo mais comum na faixa etária entre 20 e 40 anos de idade.

 

Tal doença muitas vezes só é diagnosticada após a primeira crise de forte dor lombar do paciente. As crises normalmente surgem quando alguma pedra formada no rim se locomove para o trato urinário, obstruindo a passagem da urina em alguma região, como o próprio rim ou o ureter

blog 300x216 - Conheça as diferenças entre cálculo renal e pedra na vesícula

É uma dor intensa, em cólica, que pode irradiar também para a frente do abdome e região genital. Seu tratamento varia de acordo com o tamanho e localização do(s) cálculo(s), variando do uso de analgésicos ou antiespasmódicos até tratamento cirúrgico. 

 

Já os cálculos biliares, formam-se na vesícula biliar, onde é formada e lançada a bile. Tal substância é responsável pela grande maioria dos cálculos.

 

Alguns se alojam na região e não causam problemas, mas outros ficam presos no ducto biliar, bloqueando o fluxo da bile para o intestino. Assim, o paciente tem dor intensa no lado direito superior do abdome ou nas costas. 

 

O tratamento dos cálculos biliares requer a remoção da vesícula biliar com retirada de possíveis cálculos presentes nos dutos biliares, através de pequena cirurgia.

 

Em caso de dúvida, consulte um especialista.

 

Clique aqui para saber mais sobre cálculos urinários

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Saiba mais sobre o estudo urodinâmico

Estudo urodinâmico ou avaliação urodinâmica é um exame que analisa as duas principais funções da bexiga: armazenar urina e proporcionar o seu esvaziamento através da micção.

O exame é indicado em situações especiais para alguns pacientes com aumento da próstata, incontinência urinária (homem ou mulher), lesões neurológicas, meningomielocele infantil, entre outros.

card urodinamica 300x300 - Saiba mais sobre o estudo urodinâmico

Durante o estudo são avaliadas as seguintes características: sensibilidade da bexiga, volume de enchimento máximo, momento do primeiro desejo miccional, contrações involuntárias e capacidade de esvaziamento.

Como é o exame?

Inicialmente, o paciente urina em um funil que, ligado a um computador, registra: tempo, força e fluxo urinário, além de quantidade urinada. A seguir, é avaliado o enchimento da bexiga com a colocação de duas pequenas sondas urinárias. Avalia-se então vontade para urinar, primeiro desejo miccional e enchimento máximo da bexiga. Nesse momento também é avaliado possíveis causas de incontinência urinária como perdas por hiperatividade da bexiga (perdas de urgência) ou por alterações do esfincter (incontinência de esforço). Depois, o paciente esvazia novamente sua bexiga, sendo avaliado forças e facilidade para essa ação.

O exame não costuma ser doloroso, mas pode provocar algum desconforto, como dor na bexiga, náusea ou vômito. A duração média do procedimento varia entre 15 a 45 minutos.

Não se esqueça: na dúvida, consulte sempre um especialista.

Clique aqui para conhecer mais exames e especialidades urológicas 

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Conheça duas graves infecções de urina: a Pielonefrite e a Sepse Urinária

PIELONEFRITE

 

É a principal complicação da cistite, infecção urinária da bexiga, considerada por muitos como inofensiva. Causada por bactérias, ataca o parênquima renal (onde ocorre produção de urina) e a pelve renal, que armazena a urina.

 

Em sua forma aguda, a infecção surge e evolui rapidamente, comprometendo o funcionamento dos rins. Embora seja reversível na maior parte das vezes, se não for tratada pode evoluir para doença renal grave. Na sua forma crônica, os rins vão perdendo a capacidade de funcionamento de forma progressiva e gradativa, podendo levar à falência do órgão.

 

Os sintomas mais comuns da Pielonefrite são: febre, calafrios, sudorese, náusea, vômito, dor lombar, dor para urinar e sangue na urina. O tratamento se dá com uso de antibióticos. Quando a pielonefrite não é tratada (ou quando o tratamento não é eficaz) há grandes possibilidades de evolução para sepse urinária. 

 

SEPSE URINÁRIA 

 

É uma infecção generalizada do organismo, de causa inicialmente urinária. Pode começar a partir de qualquer órgão deste sistema, como bexiga, rins e ureteres. Ocorre por tratamento inadequado de cistites ou por bactéria hospitalar adquirida. 

 

O diagnóstico de Sepse é feito por exame clínico e laboratoriais. Normalmente há febre, queda do estado geral do paciente, piora da respiração, da frequência cardíaca e, por último, queda da pressão sanguínea do paciente. Quando verificada, o paciente deve ser imediatamente internado em UTI, com antibióticos e cuidados intensivos. É uma situação potencialmente fatal quando não tratada a tempo. 

 

Na dúvida, consulte sempre um especialista.

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Saiba a importância de levar seu filho adolescente ao urologista

Em setembro, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) promoveu a Campanha #VemProUro, com foco em orientações para adolescentes.

 

O objetivo da ação foi orientar os pais a levar os jovens de 15 a 19 anos de idade a médicos especialistas. Diferentemente das meninas, que geralmente são levadas ao ginecologista desde o começo da adolescência, meninos da mesma faixa etária não têm o costume de procurar orientação médica.

 

11.10.18 ADOLESCENTES TAMBÉM PRECISAM IR AO UROLOGISTA FOTO 300x227 - Saiba a importância de levar seu filho adolescente ao urologista

É esperado que o adolescente tenha resistência e demore para topar ir à consulta. Assim, é recomendável que o pai convide o filho na escolha do médico, procurando profissionais experientes no atendimento a jovens.

 

A ida ao urologista desde a adolescência pode ajudar a diagnosticar precocemente doenças não notadas pelo pediatra (criptorquidia – testículo não descido – ou fimose, por exemplo), além de doenças de ocorrência comum na adolescência como a varicocele (dilatação dos vasos do testículo que pode levar a uma redução da produção de espermatozoides e, no futuro, até causar infertilidade). Além disso, o urologista pode tirar dúvidas sobre sexualidade e doenças sexualmente transmissíveis. 

 

Mesmo que o paciente não tenha experiência sexual, a visita ao médico é bastante importante, servindo como primeiro passo de uma relação que pode auxiliar muito no desenvolvimento biológico e psicológico desse indivíduo mais jovem. 

 

Clique aqui para saber mais sobre Urologia

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Conheça a nefrectomia parcial robótica

Nefrectomia parcial robótica é o procedimento cirúrgico que utiliza o robô para retirar parte do rim, podendo incluir a glândula adrenal, gordura perirenal e linfonodos.

Normalmente, quando o rim é acometido por um tumor maligno, a retirada apenas do tumor se faz necessária, para manter esse órgão, sendo recomendada como principal forma de tratamento curativo. Em locais onde está disponível, é indicado uso da robótica para o procedimento.

10.10.18 NEFRECTOMIA PARCIAL ROBÓTICA FOTO 300x200 - Conheça a nefrectomia parcial robótica

Assim como em um vídeo game, o robô replica os movimentos que o cirurgião faz, não tendo autonomia para nenhum movimento automático. Portanto não existe o risco de perder-se o controle. A cirurgia robótica é uma opção tecnicamente mais avançada à cirurgia laparoscópica, leigamente chamada “cirurgia com furinhos”.  O equipamento conta com um filtro de movimento que elimina possíveis tremores do cirurgião, de maneira que não sejam repassados para o paciente durante a cirurgia.

Existem várias aplicações para a cirurgia robótica renal: tumores; infecções graves acometendo o rim (ex: pielonefrite xantogranulomatosa), falência de unidade renal, na presença de sintomas como infecção ou dor, câncer de pelve renal ou ureter, transplante renal e outras doenças renais em estágio avançado, como calculose (pedras), cistos e etc.

O termo nefrectomia parcial é utilizado em referência à retirada apenas do tumor, preservando o rim, enquanto a nefrectomia radical fica reservada para casos de remoção total por câncer ou doença grave e irreversível do órgão. Atualmente, a radical geralmente poupa a glândula adrenal da retirada.

As vantagens da cirurgia robótica são: movimentos mais precisos, com técnica mais apurada, menor trauma renal e menos complicações intra e pós-operatórias. Além disso, há mais rápida recuperação pós-operatória, menor sangramento, menor tempo de internação hospitalar e menos dor, além de resultados estéticos melhores.

Na dúvida, consulte sempre um especialista.

Clique aqui para saber mais sobre Cirurgia Robótica

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


O que é Doença Renal Policística?

A doença renal policística se dá quando ocorre a presença de diversos cistos nos rins, bilateralmente. Eles crescem lentamente e são preenchidos por líquido, de maneira a formar bolhas de água de vários tamanhos.

 

Existem diversos tipos da patologia, sendo o mais comum a doença renal policística do adulto (DRPA), que atinge pessoas de 30 a 40 anos de idade, de ambos os sexos.

 

04.10.18 DOENÇA RENAL POLICÍSTICA FOTO 300x199 - O que é Doença Renal Policística?

Normalmente, as causas são hereditárias, vindas por algum defeito genético herdado nos genes PKD1 (85%) e PKD2 (15%), que passa de pais para filhos de forma dominante.

 

Em alguns pacientes, os sintomas são imperceptíveis, mas outros podem sofrer de dor nas costas, no abdômen e podem ainda apresentar sangue na urina, hipertensão arterial e cólica causada por cálculos renais.

 

A forma mais comum de diagnóstico é o exame de ultrassom. Porém, nem sempre é possível a detecção pelo método tradicional, com cistos pequenos sendo vistos apenas através de tomografia computadorizada renal ou ressonância nuclear magnética.

 

Ainda não há uma cura para a doença, algo que tem sido alvo de diversas pesquisas médicas. Então, o tratamento funciona no sentido de aliviar as dores e sintomas desta condição. O paciente deve ser acompanhado regularmente por um especialista, que pedirá exames específicos para que a saúde seja monitorada da melhor forma possível.

 

Além disso, é importante a adoção de hábitos mais saudáveis, evitando gordura em excesso e afastando costumes nocivos, como o consumo de álcool e tabaco.

 

Não se esqueça: em caso de dúvida, consulte sempre um especialista.

 

Clique aqui para saber mais sobre problemas renais

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!


Conheça os métodos de tratamento para Cálculo Renal

Uma das dores mais fortes registradas na medicina é a derivada dos cálculos renais, as famosas “pedras nos rins”.

A incidência desta condição é mais comum em homens, aparecendo em cerca de 12% dos indivíduos adultos, mas também é vista em mulheres (5% delas), principalmente na faixa etária dos 20 aos 40 anos de idade.

02.10.18 TRATAMENTO CÁLCULO RENAL FOTO 300x199 - Conheça os métodos de tratamento para Cálculo Renal

As crises de dor normalmente surgem quando alguma pedra formada no rim se locomove para o trato urinário, obstruindo a passagem da urina em alguma região, como o próprio rim ou o ureter.

Em caso de suspeita de cálculo renal, o diagnóstico é realizado através de exames, como os de raio x, ultrassonografia do trato urinário ou tomografia computadorizada de abdômen.

O tratamento é geralmente tentado em casa, com analgésicos ou antiespasmódicos e costuma melhorar boa parte das crises. Porém, em casos mais graves, com pedras maiores, dores persistentes ou infecção associada, a opção do médico é pela cirurgia, normalmente feita por endoscopia, ou seja, “pelo canal” e sem cortes. Fragmentam-se os cálculos com laser para que haja remoção física destes.

Vale lembrar que beber água previne a formação de cálculos renais, pois a ingestão constante de líquidos, especialmente água, diminui sua formação. Beba pelo menos 2 litros diariamente. Porém a ingestão de líquidos não tem influência sobre os cálculos já existentes.

Então, se você sente dores e suspeita que pode sofrer de cálculo renal, consulte um especialista.

Clique aqui para saber mais sobre problemas renais

Formulário de Contato

Preencha o formulário abaixo para minha equipe entrar em contato!